Janot denuncia Temer e mais 8 por obstrução e organização criminosa

Joesley Batista, Ricardo Saud e 6 políticos do PMDB também foram denunciados nesta quinta-feira (14)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (14/9) uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer, pelos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa.

Também foram denunciados o dono do Grupo J&F, Joesley Batista e o executivo da empresa Ricardo Saud; os ministros da Casa Civil Eliseu Padilha (PMDB-RS) e da Secretaria-Geral Moreira Franco (PMDB-RJ); o ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ); o ex-deputado e ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN); o ex-ministro
Geddel Vieira Lima (PMDB-BA); e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

A denúncia tem como base as delações premiadas de executivos da JBS e do corretor de valores Lúcio Funaro.

De acordo com o procurador, os políticos denunciados arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina.

Nesta semana, a PGR revogou a imunidade penas dos delatores da JBS, incluindo Joesley, que foi denunciado.

Esta é a segunda vez que Janot apresenta denúncia contra o presidente da República. Em agosto, ele foi acusado por crime de corrupção passiva, com base nas informações da delação premiada dos executivos da JBS.

O mandato de Rodrigo Janot à frente da PGR termina no próximo domingo (17). Na segunda-feira (18), Raquel Dodge assumirá o posto.

Para que Temer seja investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a denúncia precisa ser aprovada por pelo menos dois terços dos deputados da Câmara Federal, ou seja, 342 votos. A primeira denúncia foi rejeitada pelo plenário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.