Janot aponta em denúncia que ex-presidente Lula recebeu R$ 230 milhões em propina

Dilma Rousseff, Guido Mantega e Antonio Palocci também foram denunciados pelo crime de organização criminosa

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou na última terça-feira (5/9) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-presidente Dilma Rousseff, e os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci pelo crime de organização criminosa.

Também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da parlamentar, e os ex-tesoureiros do PT João Vaccari e Edinho Silva.

Na denúncia, Janot sustenta que os acusados formaram uma organização criminosa no Partido dos Trabalhadores para receber propina desviada da Petrobras durante as investigações da Operação Lava Jato.

Janot descreve pagamentos de propina a Lula em valores que, somados, chegam a R$ 230 milhões, para o favorecimento de empresas como a Odebrecht e a OAS em contratos.

Parte dos recursos que a PGR afirma que Lula recebeu de propina estão relacionados à aquisição do imóvel onde está instalado o Instituto Lula, no valor de R$ 12,4 milhões.

Defesa 

Em nota, a defesa do ex-presidente Lula classificou a denúncia da PGR como uma ação política e “sem qualquer fundamento”. (Com Agência Brasil)

Deixe um comentário