Janot abre investigação e acordo de delação da JBS pode ser anulado

Revisão ocorre diante de suspeita de que Joesley e outros delatores da empresa tenham escondido informações

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou, nesta segunda-feira (4/9) que abriu investigação para avaliar a omissão de informações nas negociações das delações de executivos da JBS. Caso comprovada a omissão, o acordo poderá ser anulado, disse o procurador. Assim, os benefícios oferecidos aos irmãos Joesley e Wesley Batista poderão ser cancelados.

O pronunciamento do procurador foi feito no auditório do Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF).

A possibilidade de revisão ocorre diante das suspeitas dos investigadores do Ministério Público Federal (MPF) de que o empresário Joesley Batista e outros delatores ligados à empresa esconderam informações da Procuradoria-Geral da República.

Delação premiada 

Apesar da possibilidade de anular o acordo com a JBS, Janot defendeu a delação premiada como instrumento para investigações e que deve ser preservado. De acordo com Janot, se os executivos da JBS erraram, deverão pagar por isso, mas “não desqualificará o instituto [da delação premiada]. (Com Agência Brasil)

Deixe um comentário