Jalles Fontoura afirma que lançar ações à Saneago ajudaria na arrecadação do Estado

De acordo com o presidente da Saneago, empresa continuaria estatal, mas se abriria a parcerias com recursos abundantes que ajudariam a pagar dívidas de Goiás

Jalles Fontoura | Foto: reprodução/Alego

O presidente da Saneago afirmou nesta quinta-feira (22/11) que aposta em sugestões para que o órgão “salve” a economia de Goiás. Ele se referiu aos “lançamentos de ações iniciais”, conhecidos como IPO (Initial Public Offering). Medida permite que Estado forneça parte de empresas para possíveis investidores.

“Hoje a Saneago é uma empresa que tem um patrimônio que vale mais de R$ 4 bilhões e é 100% do Estado. Basta seguir o modelo de outras boas empresas de saneamento como  sanepar (Paraná), Sabesp (São Paulo) ou Copaza (Minas Gerais)”, explica o presidente da estatal.

Jalles defende que, abrir a Saneago para receber recursos, investidores em “abundância” terão “interesse”. “O mercado tem bilhões em papeis procurando pra investir e a Saneago é objeto de vontade de quem quer fazer estes investimentos, porque da retorno real, garantindo ao Estado captação de recursos e aumento da qualidade do serviço”, declarou.

O IPO, revalida o presidente, deixaria o Estado com 51% da Saneago, “em poder do governo”, abre para investimento apenas 49%, exatamente como as estatais de saneamento citadas anteriormente.

Jalles reforçou que as pessoas querem colocar dinheiro em empresas que rendem, “como é o caso da Saneago”, concluiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.