Iris ignora lei federal e Guarda Civil deve deixar de patrulhar bairros de Goiânia

Por fora dos debates mais recentes sobre segurança pública, prefeito anunciou que a corporação voltará a se dedicar exclusivamente em zelar dos prédios públicos da capital

Iris Rezende durante evento da GCM no início do ano | Divulgação

A lei federal de número 13.022, de 8 de agosto de 2014, institui como principais funções das guardas municipais o patrulhamento preventivo, a preservação da vida, a proteção dos direitos humanos fundamentais, entre outras atribuições.

Ignorando, entretanto, o que deixa bem claro a legislação, o prefeito Iris Rezende (PMDB) informou, em entrevista coletiva, nesta terça-feira (27/6), que a Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GMC) voltará a se dedicar exclusivamente em zelar dos prédios públicos da capital, e não mais trabalhar no patrulhamento preventivo dos bairros.

“Vai cuidar da segurança dos prédios públicos da capital, como praças, parques. escolas etc. A Guarda estava se misturando com a Polícia Militar e vamos fazer tudo dentro da lei e exigir o cumprimento do dever”, afirmou à imprensa.

Vereador GCM Romário Policarpo | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Além de ignorar a lei, Iris também se recusa a encarar os mais recentes debates sobre a municipalização da segurança pública. É o que entende o vereador e também guarda civil Romário Policarpo. Em entrevista ao Jornal Opção, ele lembra que há índices que apontam queda da criminalidade nas regiões em que a GCM atua realizando serviço de patrulhamento preventivo.

“Na região Noroeste, por exemplo, houve uma redução de 87,5% na criminalidade após a atuação da corporação. Já o Setor Novo Mundo ficou 23 dias sem registro de homicídios”, exemplificou.

Policarpo afirma que a municipalização da Segurança Pública é o que há de mais moderno no setor e define como “retrocesso para Goiânia” retirar os guardas da rua.

Sobre a declaração de que a corporação tem se “misturado” com a Polícia Militar, o vereador lembra que a própria PM incentiva a integração das forças e explica que as atribuições são diferentes. “A PM realiza o patrulhamento ostensivo e a Guarda o patrulhamento preventivo.”

Ao lembrar que a Câmara de Goiânia tem defendido a municipalização dos mais variados serviços na capital, Policarpo avalia que a Casa de leis não coadunará com as intenções do prefeito. “Serei o primeiro a me posicionar contrário”, finaliza.

9 Comment threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Otoniel Morais

Vergonha esta gestão do Iris. Não fez nada pela saúde e educação. Agora o cidadão que já sofre com a violência perde serviço de policiamento municipal. E o pior que prédios vai continuar sendo arrombados, porque não tem contigente para a pretensão de Iris. Os tempos mudaram, íris parou no tempo e no modelo de segurança dos anos 60. Tudo por vaidades, não quer ajudar o estado por pretensão política.

Fernando Guimarães

Não é atoa que ele e conhecido como dinossauro suas ideias ultrapassadas do século passado infelizmente não se atualizou.

edmario

guarda , é o mesmo que guarda noite…tem que vigiar mesmo os prédios públicos.!

Eduardo j. Lopes

Finalmente uma boa açao, das ruas cuida o estado, o qual devemos cobrar melhorias e um maior contingente de milirares, a guarda civil deve se preocupar com nossos parques e espaços municipais combatendo os traficantes e ladrões em principal nossas creches e escolas onde estão sendo alvo contínuo de roubo e depredaça.

Fabricio

Uma boa ação mesmo, a criminalidade agradece, o estado não tá dando conta mas, o senhor está parado no tempo, bom é pro guarda que vai ficar tranquilo resebendo um salário sem fazer nada, ruim e pra população pois a criminalidade vai alimenta.

Vender

Bem dito Eduardo
Verdade
Antigamente os guardas cuidavam de espaços públicos,parques e predios publicos
Sempre tinha guardas nesses locais públicos da capital
Eu ate me sentia ate muito mais seguro com a presença dos guardas
Agora querem cuidar das ruas
Querem ser policia
Mas nao querem cuidar das creches,parques,postos de saude
Nao fazer aquilos que eles eram para estar fazendo,que e cuidar dos espaços públicos.

Thiago Anastácio

A visão do Prefeito não vejo como retrógrada mas como contenção de gastos. No entanto é inviável lotar um GCM em cada prédio público municipal. Outro ponto a ser além da efetivação do trabalho desempenhado pela corporação através dos dados técnicos apresentados, é que através do patrulhamento preventivo o tempo de resposta é muito maior. A logística deve ser utilizada com inteligência. É necessário o monitoramento por câmeras e alarmes sendo que a guarda faça o monitoramento na sua central. Para isso cabe investimentos e manutenções e o executivo municipal quer simplesmente cortar gastos, e fazer segurança pública enxugando gelo.… Leia mais

Elias Santos

O íris está correto…o artigo 144 par 8 é claro proteção do patrimônio… Essa é a atividade Constitucional. Precisamos da nossa guarda realizando esse importante papel…Cmeis sendo roubados , postos de saúde desprotegido e parque cheios de marginais…esses é o trabalho importante para guarda.

Fabricio

Antes de falar de GCM, vamos estudar e si atualizar, o que fala a última parte do testo, “o que dispuser a lei” o que dispõe da lei e a lei 13022/14, e outra, a segurança pública está cada dia pior, o Guarda escondido em posto e menos agentes na rua fazendo a proteção da população, quem PERDE E A POPULAÇÃO, NÃO O GUARDA, pq o salário de um Guarda de Goiânia e uns 4mil

Elias Santos

A guarda precisa realmente cumprir seu dever Constitucional para depois se envolver em outras atividades. Os Cmeis , escolas postos de saúde ,parques sem guarda e a população está desprotegidas porque uma lei inconstitucional (ADI em andamento para 13022 parecer do procurador Rodrigo Janot dando parecer pela inconstitucionalidade da lei) da a ela de forma desorganizada funções atípicas e incostitucionais. Ou anulando está lei logo ou criamos outra guarda…porque ela faz muita falta deixando de realizar seu trabalho Constitucional . (Patrimônio público)

Fabricio

Em andamento, não foi julgado, a lei está em vigor, quem é contra a Guarda, e a favor da criminalidade, em todo país de primeiro mundo o policiamento é Municipais, a criminalidade agradece

Eduardo

A GCM está entrando por incompetência da PM, o modelo futuro é esse. Ninguém pode ter o monopólio e ainda mais não cumprindo seu papel. A população clama por segurança, não importa a cor da farda.

Jedeon de Souza Silva

Esse prefeito é louco ?

Doriedson

Parabéns ao prefeito.. pessoas não podem caminhar em praças .. não podem sair das escolas com segurança .. professores são agredidos a guarda tem que voltar a fazer o serviço a qual lhe pertence.. patrulhar prédios públicos …

sampa

A competência de legislar sobre a alteração do sistema de segurança pública é da união, não do município, como afirma o vereador Policarpo. A Pm exerce a função ostensiva e preventiva, a polícia civil a atividade de investigação. A lei 13.022 regula a atividade da Guarda Civil, porém não suprime o dispositivo constitucional da competência de proteção do patrimônio público. Caso ela seja interpretada dessa fora a lei será inconstitucional.