Ipam afirma que aumento das queimadas na Amazônia está ligado ao desmatamento

Focos de calor aumentaram 60% em relação ao registrado nos últimos três anos, apesar de haver mais umidade na região que no mesmo período

Em nota técnica divulgada pelo Instituto de Pesquisas Ambiental da Amazônia (Ipam), o número de focos de calor [queimadas] registrados na Amazônia, de 1º de janeiro a 14 de agosto deste ano, é 60% maior do que o registrado nos últimos três anos (foram 32.728 focos). Além disso, o Ipam já afastou a hipótese de estiagem intensa e afirmou que o pico tem relação com o desmatamento.

“De 1º de janeiro a 14 de agosto, 32.728 focos foram registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Uma das hipóteses para explicar a alta em 2019 seria uma estiagem intensa, como registrada em 2016. Mas ela não se confirmou: apesar da seca, há mais umidade na Amazônia hoje do que havia nos últimos três anos”, informou a nota.

Conforme explicitado, o fogo é utilizado para limpar o terreno após desmatamento. Ainda o descrito, uma análise cruzada de focos de calor e registro de derrubada de árvores, realizada pelo Sistema de Alertas de Desmatamento (SAD), confirma a relação.

Problemas respiratórios

Além do problema da queimada em si, o fogo também gera fumaça, que afeta a saúde de quem mora na região e acentua problemas respiratórios. A nota destaca que, no Acre, satélites apontaram 1.790 focos de calor, número 57% mais alto do que em 2018 e 23% mais alto do que em 2016.

Com isso, os municípios “respiram” uma quantidade de material particulado muito acima do que é recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), gerando mais gastos com saúde pública e prejuízos econômicos.

Paulo Moutinho, pesquisador sênior do Ipam, afirma que “as consequências para a população são imensas. A poluição do ar causa doenças e o impacto econômico pode ser alto”. Ainda segundo ele, “combater o desmatamento, que é um vetor das queimadas, e desestimular o uso do fogo para limpar o terreno são fundamentais para garantir a saúde das pessoas e das florestas”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

edilson

FORA BOLSONARO!!