Início da semana é marcado por paralisações em escolas estaduais

Estudantes reivindicam o pagamento de salário de dezembro dos servidores da educação

Foto: Reprodução

A manhã desta segunda-feira, 11, foi marcada por manifestações de estudantes em várias escolas estaduais na capital e no interior. Os alunos reivindicam o pagamento dos salários atrasados de dezembro dos professores e funcionários administrativos.

Os alunos do Colégio Estadual Epaminondas Roriz, em Luziânia, organizaram manifestação em solidariedade aos profissionais da educação que estão sem receber o salario de dezembro.

No Colégio Estadual José Feliciano Ferreira (CEPI José Feliciano), localizado em Jataí, os alunos também relizaram ato em solidariedade aos professores. 

Também ocorreram paralisações no Colégio Militar Hugo de Carvalho Ramos, na capital, e Escola Estadual Maria Pereira de Vasconcelos, no Ingá.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Liana França

Enquanto a educação esta sem receber, o Tce com salários altos e 90% de comissionados. Kd o GOVERNADOR? Não vê isso? Lamentável. Sugerimos, exonerar TODOS os comissionados.

Luiz André Sobral

O TCE, lidera com comissionados, cargos altos, ociosidade e tds mamando nas tetas do estado, pedimos providencias.

Luiz André Sobral

+ respeito a sociedade: Exoneração a TODOS comissionados do Tce

Luiz André Sobral

Publicado no jornal hoje q: Alego e Tce farão parcerias pra ver as contas do governo. Essa parceria tbm tem q ser feita para aliviar a folha exonerando a massa falida(comissionados do Tce), q oneram o cofre estadual. Gente, q absurdo, o governador fazer de conta q não sabe da corrupção dentro desse órgão. Já não falando q ele prometeu exonera -los. Senhor governador a dia acintecera esse evento? E uma situação inaceitável, praticamente o Tce e movido por comissionados assim como na Alego. Pedimos urgência pra ver esses absurdos.

Alba Borges de Medeiros

Todo dia o Caiado senta a mesa e faz suas refeições sem se preocupar se o funcionalismo público está fazendo o mesmo. Aposentados sem poder comprar remedios