O bolsonarista George Washington de Oliveira Sousa, de 54 anos contou em depoimento à Polícia Civil do Distrito Federal que gastou R$ 170 mil com armas para um possível atentado organizado em Brasília. Foram apreendidos dois revólveres, duas espingardas, três pistolas, cinco emulsões explosivas munições e uniformes camuflados no imóvel alugado pelo empresário.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), frequentou o acampamento em frente ao quartel-general do Exército. Ele viajou do Pará para o Distrito Federal em novembro.

Ele será autuado por crime contra o Estado e porte e posse de arma de fogo. Para polícia, ele confessou ter montado um artefato explosivo em área de acesso Aeroporto Internacional de Brasília. O homem solicitou à polícia que a prisão, na tarde de sábado, 24, não fosse comunicada à família por causa do Natal.