“Se algum parlamentar vier com alguma pergunta ou insinuação fora do contexto da Enel, repassarei a palavra à outra pessoa que faça os encaminhamentos necessários”

Deputado Henrique Arantes | Foto: Reprodução

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a Enel, deputado Henrique Arantes (PTB), falou sobre sua expectativa em relação às oitivas dos ex-governadores José Eliton e Marconi Perillo, previstas para acontecerem ainda este mês. “Minha expectativa maior é em relação aos presidentes nacional e regional da Enel, embora os ex-governadores também tenham sido convocados”, afirmou o parlamentar.

Segundo Arantes, a CPI da Enel buscou manter uma agenda cheia para o mês de maio para dar celeridade aos trabalhos. “Com as oitivas e informações que já reivindicamos à Enel e demais órgãos iremos elaborar e encaminhar um relatório, provavelmente, no início do segundo semestre”, prospecta o deputado.

Henrique disse ainda que, apesar de muitas pessoas alegarem que os ex-governadores Marconi e José Eliton possam ter tido alguma responsabilidade na questão da Enel, ele acredita que isso não ocorreu. “A privatização foi feita, o Estado queria encher o cofre e se livrar de uma empresa que ele imaginava ser inviável e isso foi feito. Algumas pessoas têm questionamentos quanto a isso”, disse o deputado ao afirmar que, na condição de presidente da comissão que investiga a Enel, será o mais severo possível a fim de evitar a polarização política da CPI.

“Se algum parlamentar vier com alguma pergunta ou insinuação fora do contexto da Enel, repassarei a palavra à outra pessoa que faça os encaminhamentos necessários. Farei com que [a oitiva] não tenha conotação política, ou que seja o mínimo possível”, concluiu o parlamentar.