“Graças a Deus, errei” diz vidente sobre a queda de avião

Médium Juscelino da Luz afirmou, em 2005, que uma aeronave da Tam cairia na Avenida Paulista no dia 26 de novembro de 2014

Estava “prevista” para nove horas, nesta quarta-feira (26/11), no cruzamento da Avenida Paulista com a Alameda Campinas, em São Paulo (SP), a queda de um avião da Tam. O “médium de premonição reconhecido pelo alto grau de acerto de suas previsões” (como se descreve), Juscelino da Luz, foi quem deu as coordenadas. “Graças a Deus, errei. Se eu errasse sempre, seria melhor”, afirmou em entrevista à TV Bandeirantes.

No entanto, o médium ou, como prefere ser chamado, premonitor disse que providências tomadas pela própria companhia aérea teriam desfeito a “premonição”. “Não acho que tenha errado. Para mim, foi um acerto. A companhia trocou até o número do voo, trocou a aeronave. Sinal que acreditaram em mim”, pontuou.

A Tam, responsável pelo nave envolvida no caso, alegou que a mudança do prefixo do voo não teve nada a ver com a premonição. Segundo a companhia, a alteração do prefixo do voo entre São Paulo e Brasília foi devido à dinâmica de malha. No sonho, em que Juscelino viu a queda, uma das turbinas entraria em pane.

“Veio tudo detalhado, assim, como se estivessem falando para nós. Foi uma espécie de sonho, uma viagem astral. Foi como se eu entrasse dentro de um túnel, em um sono profundo, e aí eu participasse do evento”, contou ainda ao portal de notícias Terra.

Por fim, o premonitor disse que um dos funcionários da Tam ligou para ele e disse que a companhia teria trocado a aeronave. Porém, a Tam não declarou se houve, de fato, a troca do avião e, tampouco, as razões para que fizesse isso.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ricardo Quirino

A segurança das pessoas que se utilizam de qualquer meio de transporte, deve ser tratada com um pouco mais de responsabilidade. Mão se pode enxergar o que esse cidadão afirmou de uma maneira simples, que termina com um “errei” errou em apavorar, sem nenhuma base científica, a população; e errou em jogar com inteligencia dos outros. Ele deveria ser punido por causa disso, comparecer a uma delegacia de polícia pra responder algumas questões.