Governo Federal arrecada R$ 1,87 trilhão e bate recorde em 2021

O resultado veio acima da previsão dos especialistas

Segundo números informados pela Receita Federal, o Governo Federal arrecadou R$ 1,879 trilhão em 2021, crescimento de 17,36% em relação ao registrado em 2020, descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com um resultado acima da previsão dos especialistas, isso garantiu uma arrecadação recorde.

Um dos fatos que contribuiu para isso foi o recolhimento extraordinário de R$ 40 bilhões em Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) em 2021. Isso ocorreu porque as empresas tiveram lucros maiores que o previsto no ano passado e tiveram de pagar impostos extras nas declarações de ajuste.

Outro fator que explicou a alta da arrecadação em 2021, foi a redução dos diferimentos (adiamentos de pagamentos de tributos) que vigorou em 2020. Essa medida reforçou o caixa do governo em R$ 19,7 bilhões em 2021. O aumento das alíquotas do IOF, que financiou o Auxílio Brasil no fim do ano passado, contribuiu com R$ 2,13 bilhões.

E mesmo com a queda da arrecadação de PIS/Cofins sobre os combustíveis, a receita total desses tributos aumentou 16,47% acima da inflação no ano passado. Isso ocorreu porque o PIS/Cofins incide sobre o faturamento das empresas e refletiu o crescimento de 5,09% no consumo de bens e de 9,53% na venda de serviços em 2021.

O secretário especial da Receita Federal, Julio Cesar Vieira Gomes, comemorou a arrecadação recorde. “O aumento da arrecadação em 2021 foi muito expressivo. Há muito o que comemorar, considerando que ainda estamos em meio a uma pandemia. Tivemos aumento expressivo em tributos sobre lucros e rendimentos das empresas e também no Imposto de Renda de pessoas físicas”, declarou Gomes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.