Governo Estadual inicia nova política socioeducativa em Goiás, marcada pelo fechamento do CIP

Executivo goiano fala em modelo verdadeiramente voltado para a ressocialização

O Governo Estadual deu início nesta semana a um novo modelo de políticas socioeducativas em Goiás. Em solenidade que encerrou as atividades do Centro de Internação Provisória (CIP), que funcionava no 7º Batalhão da Polícia Militar, o Governador Ronaldo Caiado (DEM) anunciou nova fase.

A reestruturação dos Centros de Atendimento Socioeducativos buscam, segundo o governo, novas metodologias de atuação para transformar o sistema de encarceramento de jovens infratores. “Isso vai expandir a oportunidade de acolher esses adolescentes. Um bom atendimento faz com que haja recuperação”, defendeu o governador.

Ainda conforme destaque de Caiado, a antiga estrutura do local não oferecia condições de atendimento aos internos. “Hoje, saímos de algo que foi uma mácula muito forte na história do Estado de Goiás, para um ambiente totalmente diferente”, destacou o governador, relembrando a tragédia do CIP em 2018, quando 10 adolescentes morreram durante incêndio.

Rotina

Com a desativação, os 17 adolescentes ainda internados no local foram encaminhados ao Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Goiânia, no Conjunto Vera Cruz, que passa por uma reestruturação física, além da adoção de um novo sistema pedagógico.

Desde o início do ano, os internos passaram a ter o dobro das aulas. Além disso, uma parceria com o Sistema S tem proporcionado formação profissional aos jovens em diferentes áreas.

“Esses jovens infratores hoje podem ter um local com infraestrutura para poder seguir um novo caminho, um novo destino. É isso que nós queremos”, ressaltou a presidente de honra da OVG e do Gabinete de Políticas Sociais, primeira-dama Gracinha Caiado.

Mais unidades

Além do Case de Goiânia, com capacidade para atendimento de 105 jovens, mas que, por determinação do governo vai abrigar apenas 80 neste período, outros Cases estão sendo finalizados para garantir dignidade e oportunidade de ressocialização aos internos.

O Case de Itaberaí deve ser inaugurado no mês de julho com 58 vagas. Outros dois centros, nas cidades de Porangatu e Itumbiara, estão com inauguração prevista para dezembro deste ano. Ao todo, foram investidos R$ 22,5 milhões provenientes de convênios estabelecidos como governo federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.