Governo de Goiás faz alerta a proprietários de barragens

Fortes chuvas estão previstas neste fim de semana com risco de sobrecarga nos barramentos em todo o Estado

Barragem | Foto: Semad

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), fez alerta para os proprietários de barragens no Estado para volumes de chuva acima do normal nos próximos dias. A recomendação é que se faça vistorias de estrutura e que o nível da água seja reduzido diante das fortes chuvas esperadas para o fim de semana.

Entre as recomendações da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Sema) está a verificação do nível do reservatório, que não pode estar totalmente cheio nesse período. Além disso, o proprietário deve verificar existência de trincas ou rachaduras e infiltrações nas ombreiras e taludes. Caso existam, deve-se reduzir ainda mais o volume acumulado no reservatório.

Outra recomendação da secretaria é deixar descargas de fundo escoando livremente nos próximos dias para que a barragem receba a água da chuva sem problemas. Desobstruir os extravasores, quando houver: retirar lixo, vegetação ou qualquer material presente para que haja fluxo. E jamais remover árvores ou vegetação nos taludes ou ombreiras para não causar instabilidade na estrutura. A recomendação é para realizar retirar a vegetação somente durante a seca.

Segundo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), há maiores acumulados de chuva em uma faixa que passa pelos Estados do Piauí, Maranhão, Tocantins, sudeste do Pará, Goiás, leste e nordeste do Mato Grosso.

Chuvas

No oeste de Goiás o acumulado de chuva no período entre o último dia 3 e o próximo dia 10 de fevereiro foi estimado em até 300 mm. Segundo o boletim do Instituto de Metereologia (Inmet), Goiás pode ter, entre esta sexta-feira, 7, e domingo, 9, “chuva superior a 60 mm/h ou acima de 100 mm/dia. Grande risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, grandes deslizamentos de encostas, em cidades com tais áreas de risco.”

A Semad também instrui todos os proprietários de barramentos para que estejam sempre em prontidão para comunicar possíveis emergências às Defesas Civis municipais da região onde se encontram, além de constituir uma rede de comunicação com vizinhos e comunidades residenciais em um raio de 10 quilômetros da represa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.