Governo anuncia previsão orçamentária de R$ 24,96 bilhões para 2018

Segundo o vice-governador José Eliton, orientação é manter austeridade fiscal sem prejudicar áreas prioritárias e investimentos

Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

O vice-governador José Eliton (PSDB) apresentou, nesta segunda-feira (2/10), o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) do exercício 2018. Já encaminhada à Assembleia Legislativa para apreciação, a matéria que orientará os gastos do Executivo no ano que vem prevê um orçamento de R$ 24,96 bilhões para o ano que vem para custeio e investimentos.

Na coletiva de anúncio, José Eliton explicou que a orientação do governador Marconi Perillo (PSDB) é para que se mantenha a austeridade fiscal e que se estabeleça uma previsão de Orçamento que realmente seja seguida. “A posição é estabelecer uma política orçamentária real com base em dados e contamos com a compreensão dos demais poderes na manutenção do equilíbrio fiscal do Estado”, afirmou.

Um dos pontos prioritários do orçamento será o programa Goiás na Frente, que receberá investimentos de R$ 6,44 bilhões. O Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI), por sua vez, vai receber R$ 208,9 milhões. Programas sociais como o Renda Cidadã, o Bolsa Universitária, o Bolsa Futuro Inovador e o Governo Junto de Você receberão R$ 3,22 bilhões.

Entre as vinculações constitucionais, que são gastos obrigatórios, a Saúde receberá R$ 2,47 bilhões; a Educação, R$ 6,34 bilhões; Segurança Pública, R$ 2,83 bilhões; Ciência e Tecnologia, R$ 366,32 milhões; e Cultura de R$ 62,41 milhões. Cerca de 60% dessas verbas são utilizadas para quitar a folha de pessoal.

Em relação a 2017, o orçamento teve uma redução de 0,26%. A previsão de despesas é de R$ 24,23 bilhões, a maior parte delas envolvendo despesas correntes, que irão consumir R$ 1,55 bilhões.

Para o secretário da Fazenda, João Furtado, a previsão orçamentária, apesar de ser austera, é otimista. “Estamos contando que Goiás permaneça em uma rota de crescimento maior que a média nacional, com previsão de crescimento do PIB é na ordem de 2%”, pontuou ele.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.