Governo afirma que dívidas de bolsas universitárias somam R$ 76 milhões em Goiás

Governador Ronaldo Caiado se reuniu com mantenedoras de estabelecimentos de educação superior do Estado, apresentou dados e afirmou que irá quitar a dívida

Foto: Lívia Barbosa

O governador Ronaldo Caiado (DEM) se reuniu na tarde desta sexta-feira, 11, com instituições mantenedoras de estabelecimentos de educação superior do Estado de Goiás para discutir a questão do pagamento e manutenção do programa Bolsa Universitária. Estiveram presentes o secretário de planejamento, Pedro Sales, o deputado estadual Lívio Luciano (PODE), a primeira dama Gracinha Caiado, o presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Educação Superior do Estado de Goiás (Semesg), Jorge de Jesus Bernardo e empresários goianos.

De acordo com a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), 85 instituições de ensino superior que atendem mais de 26 mil e 400 alunos estariam com oito parcelas atrasadas, somando cerca de R$ 76 milhões em dívidas, cerca de 70% dos estudantes. Apesar disso, o órgão mantém o recadastramento dos estudantes que segue até o dia 31 de janeiro.

“Temos que prestar contas a sociedade e fazer um esclarecimento a toda população do Estado. Aquilo que era responsabilidade do Estado, não cumpriram, sempre usando como fim eleitoreiro”, declarou Caiado.

O governador mostrou, ainda, um documento sobre a “realidade da dívida” e ainda afirmou que, em 28 de dezembro, por meio de decreto, José Eliton transferiu verba específica para pagamento da bolsa, cerca R$ 20 milhões, oriundo do Protege (Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás), para o Tribunal de Contas do Estado. “Isso é um exemplo de como o Estado de Goiás era governado.”

O trabalho, segundo Caiado, que terá a frente a primeira dama, presidente da OVG, será o de quitar a dívida, continuar os pagamentos corretamente, e o de defender a manutenção e ampliação do programa.

Já de acordo com Jorge de Jesus Bernardo, uma reunião deve acontecer na próxima semana entre todos os responsáveis pelas faculdades para que se possa buscar um sinal positivo da matrícula de todos estudantes que possuem bolsa universitária.

“O programa do bolsa universitária é muito importante e deve continuar. É um programa de Estado que já beneficiou mais de 200 mil estudantes”, afirmou, concluindo que 15% de estudantes goianos recebem, ou deveriam receber, o benefício.

Diante do acordo, a OVG volta a orientar os 26,4 mil estudantes que recebem o benefício a se recadastrar normalmente, pois não haverá mudanças no programa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.