Gás de cozinha fica mais caro a partir de domingo (5/11)

Reajuste médio será de 4,5% e atinge apenas o gás de uso residencial comercializado em botijões de até 13kg

A Petrobras informou nesta sexta-feira (3/11) que, de acordo com a política de preços divulgada em junho deste ano, reajustou os preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kg (GLP P-13), o gás de cozinha, em 4,5%, em média. O reajuste entra em vigor neste domingo (5/11)

O reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no Hemisfério Norte. A variação do câmbio também contribuiu.

Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores.

O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reajustado, em média, em 2,0% ou cerca de R$ 1,21 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

O último reajuste do gás de uso residencial ocorreu em outubro deste ano. Na última quarta-feira (1/11) a Petrobrás já havia anunciado o aumento de 6,5% do gás de uso industrial.

Deixe um comentário