Funcionários da Prefeitura de Goiânia podem paralisar serviços por 24 horas

Categoria espera se reunir com o prefeito Iris Rezende ainda nesta semana

Os servidores da Prefeitura de Goiânia podem paralisar o serviço por 24 horas, na próxima segunda-feira (23), caso o prefeito Iris Rezende (MDB) não receba representantes do funcionalismo público municipal ainda nesta semana.

A categoria organizou protesto na manhã desta terça-feira (17/4) na Câmara de Goiânia. Depois, em assembleia geral, definiu por continuar com o indicativo de greve, enquanto aguarda reunião com emedebista.

“Não quero acreditar na possibilidade de greve geral. O líder do prefeito disse que falou com o secretário de governo e uma reunião será agendada”, afirmou, em entrevista ao Jornal Opção, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia (SindiGoiânia), GCM Ronaldo Gonzaga.

A última reunião entre o prefeito e representantes do funcionalismo municipal ocorreu em janeiro. Um novo encontro chegou a ser marcado para o início de março, mas, até o momento, não ocorreu.

A concessão do reajuste salarial da data-base é a principal reivindicação da categoria. O chefe do Executivo municipal deveria ter encaminhado o projeto para o Legislativo em maio de 2017, mas ainda não há previsão de quando isso pode ser feito.

O pagamento das progressões, aplicação do piso nacional, chamamento dos concursados da educação e a questão do plano de cargo de salário dos motoristas são outras pautas defendidas pelos servidores.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.