Matéria publicada nesta segunda-feira (4) ressalta que Prefeitura de Goiânia reduziu horário de expediente como forma de cortar gastos

Prefeito Paulo Garcia e secretário de Finanças, Jeovalter Correia
Prefeito Paulo Garcia e secretário de Finanças, Jeovalter Correia

A Folha de S. Paulo publica, nesta segunda-feira (4/1), uma matéria que analisa o cenário de crise nas prefeituras durante o ano passado. Segundo o jornal, 38 dos 50 municípios mais populosos do Brasil registraram quedas de arrecadação e investimentos.

No comparativo entre os períodos de janeiro e outubro de 2014 e 2015, Goiânia teve redução de 4% na arrecadação com impostos e, somado a menos repasses do governo federal, o montante resultou em 16% a menos de investimentos — percentual aferido pela Folha em todas as 50 cidades.

Ao falar sobre as ações empenhadas pelos prefeitos para sobreviver a crise, a reportagem cita a medida implementada em novembro pelo prefeito Paulo Garcia (PT) de reduzir o horário de funcionamento da prefeitura de 7 às 13 horas. O objetivo foi economizar R$ 7 milhões mensais com água, luz e telefone.

De fato, o pioneirismo goianiense foi aferido pela Confederação Nacional de Municípios, que registrou mais de 70% de ações desse tipo em outras cidades.