Heloísa de Carvalho prestou depoimento à Polícia Federal, em Brasília, nesta quinta-feira, 16, denunciando uma seita supostamente criada por seu pai, Olavo de Carvalho, falecido em janeiro de 2022 e conhecido como guru da extrema direita brasileira.

Segundo Heloísa, a seita está envolvida no aliciamento de mulheres, incluindo menores de idade, além de criar uma rede de divulgação de pornografia infantil e pedofilia.

O depoimento de Heloísa é parte de uma ação judicial que resultou no resgate de uma jovem de Goiás, que vivia como quarta esposa de Tales, um dos filhos de Olavo de Carvalho e suposto líder da seita.

A seita, que se define como uma vertente herética do Islã, é financiada por contribuições dos membros. Tales preside o Instituto Cultural Lux Et Sapienti (ICLS), que oferece cursos online sobre filosofia, cosmologia e simbolismo.

Heloísa, que rompeu com o pai e os irmãos há alguns anos, está em Brasília acompanhada da advogada Talitha Camargo da Fonseca. A advogada solicitou ao Ministério dos Direitos Humanos a inclusão de Heloísa no Programa de Proteção a Testemunhas.

“Vou entregar provas de tudo que venho denunciando há anos”, afirmou Heloísa. Em março deste ano, a Polícia do Paraguai realizou uma operação na residência de Tales, onde ele vivia com suas esposas e uma filha de 14 anos.

A operação foi conduzida em cumprimento a uma decisão da desembargadora Lília Mônica de Castro Borges Escher, do Tribunal de Justiça de Goiás, após uma solicitação da família da jovem que vivia em Catalão, no sudeste de Goiás.

Os advogados da família afirmam que a jovem foi aliciada aos 13 anos (hoje com 22), após participar das lives de Olavo de Carvalho. A Polícia Federal encaminhou o mandado de resgate para a Interpol, que notificou as autoridades paraguaias.

Após ser resgatada, a jovem foi entregue à Polícia Federal na fronteira com o Brasil. O advogado de Tales afirmou que o pai da jovem não respeita sua autonomia afetiva e religiosa, tratando-a como louca.

“Ela nunca esteve desaparecida. Apenas estava evitando contato com o pai, que parece ainda não ter compreendido que sua filha já é uma mulher adulta e independente. Ressalte-se que se encontra na companhia do pai por vontade própria e na esperança de acalmá-lo, apesar de suas insistentes tentativas de infantilizá-la e tratá-la como louca”, declarou Frank Romualdo Reche Maciel.

Heloísa de Carvalho declarou que a jovem tem bipolaridade e que Tales exerce uma forte influência sobre ela, comprovada por orientações dadas por ele via áudio durante a operação policial.

“Não volta para casa com esse celular aí, não. Você sabe que esse celular vai para o lixo. Joga no rio antes de chegar em casa”, afirmou ele, em áudio enviado pela WhatsApp, na manhã do dia 14 de março.

Em 2019, Heloísa relatou em uma entrevista que seu pai era adepto de uma seita islâmica e mantinha três esposas simultaneamente. Na época, ela também mencionou que Tales e Luiz seguiam uma vertente esotérica do Islã. Essas declarações geraram uma campanha difamatória contra ela por parte da extrema direita, que a rotulou como “espermatozóide desviado”.

Após o resgate da jovem no Paraguai, Heloísa afirmou ter reunido provas que serão entregues à Polícia Federal nesta quinta-feira. Ela acredita que, enquanto seu irmão auxiliava o pai na orientação da extrema direita brasileira, ele também estava envolvido em uma rede de crimes de conotação sexual.

Leia também: