Um fazendeiro e um encarregado são investigados por furtar R$ 500 mil em energia por meio de “gatos”, em Luziânia. A Polícia Civil (PC) realizou uma operação em uma propriedade rural nesta quarta-feira, 7, encontrando e periciando, com o auxílio da Polícia Científica, sete redes elétricas de alta tensão para fins de irrigação por pivôs.

LEIA TAMBÉM

40% do furto de energia detectado em Goiás se concentra em 5 municípios

Furto de energia no Tocantins em 2023 abasteceria Colinas por um ano

Destas, cinco se encontravam operando de forma irregular, sem cadastro na Equatorial. Segundo o delegado Rony Loureiro, a fazenda que fica às margens da GO-10, vinha operando irregularmente há anos. O proprietário e o responsável pela propriedade rural não foram localizados no local, visto que estavam fora do estado.

“Além do pagamento pelo que deixou de ser recolhido, o proprietário da fazenda também arcará com a multa que pode ultrapassar R$ 500 mil. Todos aqueles que determinam e os que executam a instalação de redes de alta tensão também serão responsabilizados pelo crime de furto”, explicou.

O investigador afirmou que esse tipo de instalação gera riscos a toda comunidade de Luziânia e região, porque é passível de curto-circuito e quedas de energia. Além disso, o valor da perda é acrescentado na conta de luz de toda população, que acaba arcando com a perda.

“Toda a investigação será conduzida no inquérito policial. Vale ressaltar que todo procedimento deve ser realizado com a aprovação do projeto por meio da Equatorial. A Polícia Civil orienta que as pessoas que possuem redes, principalmente de alta tensão, façam sua regularização”, concluiu Rony.