Três integrantes da “Facção Vilanovense”, torcida organizada do Vila Nova, foram condenados por roubar e tentar matar dois rivais da Força Jovem do Goiás. O julgamento de Vanderlei Alves dos Santos Júnior, Cleuton dos Santos Araújo e Tahylná Alves Porte de Oliveira ocorreu na última quarta-feira, 19, em Goiânia. 

LEIA TAMBÉM

Embate entre Esquadrão Vilanovense e Força Jovem do Goiás termina com três presos e cinco baleados

Violência no esporte: ao menos 44 foram presos por crimes dentro e fora dos estádios em Goiás

O júri, presidido pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, condenou Vanderlei a 16 anos de prisão por duas tentativas de homicídio e roubo, enquanto que os demais membros da organizada devem cumprir quatro anos de reclusão e 10 dias-multa por roubo. 

O trio e outras nove pessoas foram denunciados pelo Ministério Público (MP) em setembro de 2021, mas os demais agressores foram inocentados no curso do processo. Conforme o órgão, os crimes ocorreram no dia 11 de abril de 2021, por volta das 18 horas, após uma partida entre Vila Nova e Goiás, pelo campeonato goiano, realizada no Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, em Goiânia. 

Crimes 

Depois do jogo, os denunciados saíram em três carros com objetivo de agredir e tomar camisetas dos torcedores do Goiás, como um troféu, de forma a demonstrar a supremacia da “Facção Vilanovense”. Segundo o relatado, o motorista de um desses carros era Vanderlei, tendo como ocupantes Cleuton dos Santos Araújo e outras duas pessoas. 

Em outro carro, seguia Tahylná Alves Porte de Oliveira, como passageira, juntamente com outras quatro pessoas, sendo um deles menor de idade. O terceiro veículo continha três passageiros. Os veículos trafegavam pelo Jardim Novo Mundo, momento em que Vanderlei avistou dois adolescentes com camisas da camiseta da Força Jovem.

Um dos carros parou próximo aos jovens, quando Vanderlei avançou na calçada e, então, atropelou as vítimas. Conforme a denúncia, ele assumiu o risco de matá-los de forma consciente. A adolescente foi arremessada à frente do veículo, enquanto o rapaz caiu na calçada atrás de uma árvore.

Enquanto Vanderlei manejava veículo de ré para sair da calçada, Cleuto desceu, e, juntamente com outras pessoas, cercou o adolescente, levando dele a camiseta. Minutos antes, no mesmo bairro, os ocupantes do carro em que estava Tahylná também avistaram uma outra adolescente, usando uma camiseta da torcida organizada do Goiás. 

O grupo, então, parou o carro, ocasião em que Tahylná desceu, sacou uma arma de fogo da cintura e, mediante ameaças, ordenou que a vítima entregasse a camiseta, a deixando apenas de sutiã na rua.