Especialista dá dicas de finanças pessoais para equilibrar as contas em 2019

Confira quais os itens que não podem faltar numa lista de contabilidade para quem não quer ficar no prejuízo

Quando chega o fim do ano, é comum as pessoas elaborarem listas de metas para o ano seguinte, mas poucos sabem a importância de um planejamento financeiro não só para manter as contas em dia, mas para o seu próprio progresso pessoal. Gastos com necessidades básicas da família, impostos, investimentos, poupança ou mesmo uma viagem são itens que não podem faltar numa lista de contabilidade para quem não quer ficar no prejuízo.

“A educação financeira, infelizmente, ainda não faz parte da cultura brasileira. Em geral, pensa-se que só as empresas devem ter um planejamento contábil anual, mas a pessoa física também não pode abrir mão dessa ferramenta primordial de organização para administrar o patrimônio”, destaca Ruzell Nogueira, CEO da Click Contabilidade.

Uma simples planilha auxilia na compreensão geral dos gastos previstos essenciais: aluguel/prestação do financiamento de casa, água, luz, telefone/internet, alimentação, educação, saúde, despesas com seguros, entre outras. É possível, ainda, dividir estes gastos em fixos (conta de água, por exemplo) e variáveis (lanche da tarde ou entretenimento, por exemplo), para estudar em que exatamente é possível economizar e até cortar despesas.

“A partir do cálculo dos gastos e de acordo com a sua fonte de renda prevista, seja você assalariado, autônomo ou que tenha outra fonte de renda, como aluguel, é possível montar um quadro realista da sua vida financeira e, a partir daí, definir prioridades, ver o que pode ser economizado”, orienta Ruzell Nogueira. Com esse quadro em mãos, tente planejar algum tipo de poupança para emergências.

Ultrapassada essa fase, continua ele, é a hora de estabelecer metas, como, por exemplo, comprar um carro novo, um curso ou dar entrada num imóvel, sempre tendo em vista o levantamento de sua receita. Em seguida, é preciso estudar as alternativas para elaborar um plano.

Já a economia tributária merece, sem dúvida, um capítulo especial no planejamento financeiro anual. Para quem é empregado, deve-se estar atento aos documentos exigidos em relação às deduções para a fonte pagadora, como declaração de dependentes, INSS, pensão alimentícia judicial e contribuição de previdência privada.

Nem sempre nos lembramos de guardar em local acessível e de modo organizados os recibos. Cheques nominais, despesas médicas e odontológicas, pagamento de planos médicos, mas tudo isso deve ser incluído nos cálculos para dedução anual, assim como despesas com educação. Portanto, reserve os recibos em pastas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.