Equipes de transição do governo federal começam a trabalhar nesta semana

A nomeação dos integrantes das duas equipes, de Jair Bolsonaro e Michel Temer, serão publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira (6)

O deputado federal Onyx Lorenzoni será nomeado ministro extraordinário de transição do governo federal, por parte de Bolsonaro (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O coordenador da transição de governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), se encontra na manhã desta segunda-feira (5/11) com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a fim de oficializar os trabalhos das duas equipes. As nomeações dos integrantes das equipes devem ser publicadas no Diário Oficial da União amanhã (6) e as reuniões de trabalho acontecerão no Centro Cultural do Banco do Brasil, onde a segurança já foi reforçada.

O capitão reformado do Exército também desembarca nesta terça-feira (6) em Brasília, a primeira visita à capital depois de eleito, e deve se encontrar com o presidente Michel Temer (MDB). O presidente eleito embarca em um jato da Força Aérea Brasileira, às 9h na Base Aérea do Galeão e chega a Brasília às 10h20, também na Base Aérea. A visita deverá ser acompanhada pelo empresário Paulo Marinho, do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ex-presidente do PSL Gustavo Bebianno.

Jair Bolsonaro publicou em sua conta pessoal de uma rede social que a equipe terá acesso aos primeiros dados oficiais de governo. “Esta semana damos mais um grande passo, com o início do funcionamento do grupo de transição de governo, absorvendo informações para a reestruturação do Brasil”, ressaltou.

Agenda com embaixadores

Bolsonaro permanece em casa nesta segunda-feira (5) na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro e deve receber dois embaixadores em casa para tratar de assuntos diplomáticos.

A previsão é que o embaixador da China, Li Jinzhang, visite Bolsonaro ainda de manhã e conversem sobre os negócios comerciais entre os dois países. O presidente eleito manifestou anteriormente que não pretende fazer distinção ideológica nas bases comerciais internacionais.

O embaixador da Itália, Antonio Bernardini, está com reunião marcada na agenda de Bolsonaro em seguida do embaixador chinês. O capitão, que é descendente de italianos, garantiu que o governo vai extraditar Cesare Battisti ao seu país de origem. O ativista político italiano, acusado de terrorismo, está asilado no Brasil desde que o benefício foi concedido pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.