O plano anterior da candidata, que é fiel da igreja Assembleia de Deus, trazia pontos polêmicos envolvendo questões relacionadas à comunidade LGBT

marina silva
Candidata à presidência da República Marina Silva elimina trechos de seu plano de governo

 

A coordenação de campanha da candidata à Presidência da República, Marina Silva (PSB-REDE), alterou neste sábado (30/8) o texto de seu programa de governo em parte que mostrava suas propostas para a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros e transexuais). O programa da presidenciável havia sido divulgado nesta sexta-feira (29).

O plano da candidata, que é fiel da igreja Assembleia de Deus, é dividido em seis eixos principais e trazia pontos polêmicos envolvendo questões relacionadas à comunidade gay. Agora, foram eliminados os trechos em que a candidata, caso eleita, se comprometia a colaborar com a aprovação da lei de identidade de gênero e em articular no Congresso a aprovação de leis que criminalizassem a homofobia.

Outra parte que foi excluída foi a que previa a distribuição de material didático “destinado a conscientizar sobre a diversidade de orientação sexual e às novas formas de família”.

Em nota divulgada pela equipe da presidenciável, o programa anterior foi classificado como “falha processual na editoração” e que não “não retrata com fidelidade os resultados do processo de discussão sobre o tema durante as etapas de formulação do plano de governo”. A nota afirmou também que o programa inicial é um “contratempo indesejável” e que o novo é o “correto”.

A coligação da candidata ressaltou, no entanto, que permanece irretocável o compromisso irrestrito com a defesa dos direitos civis da comunidade gay e com a promoção de ações que “eduquem a população para o convívio respeitoso com a diferença e a capacidade de reconhecer os direitos civis de todos”.