Entidades do setor produtivo promovem seminário em Defesa do Desenvolvimento e dos Empregos

Para o seminário em Aparecida de Goiânia estão confirmadas algumas das principais lideranças empresariais, dos trabalhadores e políticas do Estado

Sede da Aciag | Foto: Ascom

Mais de 30 entidades do setor produtivo e dos trabalhadores realizarão nesta segunda-feira, 11, às 17 horas, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), uma edição extra do seminário do Movimento em Defesa do Desenvolvimento e dos Empregos.

Para o seminário em Aparecida de Goiânia estão confirmadas algumas das principais lideranças empresariais, dos trabalhadores e políticas do Estado. O ex-governador e ex-prefeito do município, Maguito Vilela, fará uma dos seminários.

Desde setembro o movimento já realizou cinco seminários regionais, em Rio Verde, Anápolis, Goianésia, Itumbiara e Catalão. Os seminários reuniram, juntos, mais de 1,4 mil empresários, trabalhadores, reitores, diretores e estudantes de universidades e faculdades. O encerramento será em Goiânia, num grande evento, em 2 de dezembro próximo.

A proposta do Movimento é abordar temas como inovação e tecnologia, meio ambiente, desburocratização, infraestrutura, crédito, incentivos fiscais, proteção social, mercado de trabalho e qualificação profissional, entre outros, com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e a competitividade do Estado.

O Movimento começou a ser formatado em maio, quando a Adial Goiás contratou pesquisas quantitativa e qualitativa para verificar os anseios dos goianos quanto à economia do Estado e a visão com relação aos incentivos fiscais. As pesquisas, realizadas nos municípios mais industrializados do Estado, captaram um apoio de mais de 90% da população à adoção de políticas públicas de incentivos que garantam o crescimento econômico, por meio da industrialização, incremento do comércio e do setor de serviços.

A instalação de indústrias, segundo a pesquisa, é tida pela população como um fator primordial para a melhoria da qualidade de vida nos municípios. O levantamento do Instituto Fortiori apontou também uma preocupação muito grande dos goianos com a estagnação econômica e o aumento do desemprego.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.