Enquete aponta que 92% dos advogados goianos são a favor da porte de arma para classe

Comissão da seccional goiana da Ordem encabeça campanha pela aprovação do projeto de lei que estende prerrogativa do porte de arma para profissionais da advocacia

Enquete promovida pela Comissão Especial de Estudo pelo Porte de Arma da Ordem dos Advogados do Brasil – seção Goiás (OAB-GO) aponta que mais de 92% da advocacia goiana é a favor da posse de arma para a categoria.

Segundo o presidente do colegiado, Giuliano Miotto, até o final de novembro, 322 advogados haviam participado da votação. Destes, 299 votaram a favor do projeto de lei que tramita no Congresso Nacional e estende  a prerrogativa do porte de arma para profissionais da advocacia. Apenas 22 votaram contra e um profissional não soube opinar.  Ainda não há uma data para que a enquete seja finalizada.

Na avaliação de Giuliano Miotto, o advogado é essencial à administração da Justiça e não deve ser tratado de maneira diferente aos membros do Judiciário e Ministério Público, que já possuem o porte de arma. “A Comissão decidiu encampar a luta por isonomia para que a advocacia possa ter prerrogativa de portar armas, desde que respeitados os requisitos legais”, afirma.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.