Comissão da seccional goiana da Ordem encabeça campanha pela aprovação do projeto de lei que estende prerrogativa do porte de arma para profissionais da advocacia

[relacionadas artigos=”95598″]

Enquete promovida pela Comissão Especial de Estudo pelo Porte de Arma da Ordem dos Advogados do Brasil – seção Goiás (OAB-GO) aponta que mais de 92% da advocacia goiana é a favor da posse de arma para a categoria.

Segundo o presidente do colegiado, Giuliano Miotto, até o final de novembro, 322 advogados haviam participado da votação. Destes, 299 votaram a favor do projeto de lei que tramita no Congresso Nacional e estende  a prerrogativa do porte de arma para profissionais da advocacia. Apenas 22 votaram contra e um profissional não soube opinar.  Ainda não há uma data para que a enquete seja finalizada.

Na avaliação de Giuliano Miotto, o advogado é essencial à administração da Justiça e não deve ser tratado de maneira diferente aos membros do Judiciário e Ministério Público, que já possuem o porte de arma. “A Comissão decidiu encampar a luta por isonomia para que a advocacia possa ter prerrogativa de portar armas, desde que respeitados os requisitos legais”, afirma.