Pela primeira vez em cerca de 90 anos, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, o Confea, tem um goiano na disputa à presidência da entidade. Trata-se do empresário e engenheiro agrônomo Francisco Almeida, que tem no currículo quatro mandatos como presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO).

Conforme apurado pelo Jornal Opção, Almeida, que pediu licença da presidência da Mútua – braço social do Sistema Confea – para participar da disputa, não só é o primeiro de Goiás a concorrer ao posto, como também é tido como favorito no pleito, previsto para acontecer no dia 17 de novembro.

Entre as propostas de Almeida estão a valorização dos profissionais junto ao mercado de trabalho, a ampliação da empregabilidade e na capacitação profissional, o fortalecimento da interlocução com a sociedade e o incentivo a novas ideias e lideranças no Sistema e nas entidades de classe.

Ao Opção, o engenheiro agrônomo destacou sua trajetória de 12 anos à frente do CREA-GO. “Deixei um rastro de modernidade, sempre pautado na valorização, sempre pautado na sociedade, então tenho história. Hoje eu me sinto preparado”, afirmou, se referindo ao Confea.

Almeida chamou a atenção, ainda, para problemas que pretende abordar em uma eventual gestão, como a qualidade, ou a falta dela, em boa parte dos cursos superiores de engenharia e afins oferecidos hoje no Brasil, além da baixa oferta de mão de obra qualificada.

“É necessário que estejamos presentes, em todos os lugares. Por exemplo, temos engenheiros para serem empregados nas obras previstas do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento]? Não temos”, questiona.

Caso saia vencedor na disputa, Francisco Almeida não só será o primeiro goiano a ocupar o cargo de presidente do Sistema Confea, como também o primeiro engenheiro agrônomo dirigindo a entidade em 43 anos.

Leia também:

Prefeitura corrige estruturas “consideradas críticas” e diz que acompanha pontes e viadutos