Em meio a protestos, Paulo Garcia presta contas na Câmara Municipal

Prefeito participa de audiência pública para esclarecer contas relativas ao último quadrimestre de 2014 e responde a perguntas de servidores e vereadores

O prefeito Paulo Garcia (PT) participa na manhã desta segunda-feira (4/5) de uma audiência pública na Câmara Municipal de Goiânia para prestação de contas do último quadrimestre de 2014. Em meio a vaias, gritos e protestos, o petista expôs os dados em menos de dez minutos.

Segundo Paulo Garcia, 50,22% das contas do município corresponde aos gastos com a folha de pagamento de servidores. O valor total da folha seria de R$ 1,570 bilhões. As despesas com pessoal é de 52.26%, contando a Câmara Municipal.

“Terminamos o ano dentro do limite prudencial”, afirmou o prefeito.

A aplicação em Saúde equivale um total de 22%, o que corresponderia a R$ 1 bilhão — portanto, acima do índice constitucional de 15%. Em Educação, o percentual aplicado é de 28.97% — também acima do índice constitucional de 25%.

Paulo Garcia declarou que existem metas para manter o equilíbrio e a disciplina fiscal em Goiânia. Os objetivos para sair da situação de crise, segundo o petista, seriam aumentar em 15% as receitas próprias em 2015, reduzir em 10% a folha administrativa, diminuir a despesa com custeio em 15% e zerar os restos a pagar, além de abater em 30% a dívida flutuante da prefeitura.

Outras medidas citadas pelo prefeito são a reforma administrativa, o ajuste fiscal e a implantação do fluxo de caixa.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.