Em meio a crise no funcionalismo público, Caiado anuncia pacote de “bondades”

Projetos de Lei enviados nesta segunda-feira, 28, estabelece auxílios a servidores e extinção da terceira classe da PM, PC e Bombeiros

Foto: Ludmilla Morais

Em entrevista realizada na tarde desta segunda-feira, 28, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, o governador Ronaldo Caiado (DEM) anunciou um pacote de “bondades” para os servidores da Educação e parte da Segurança Pública. A coletiva acontece minutos antes da assembleia dos trabalhadores em educação da rede estadual que enxergam a possibilidade de aderir a uma greve, caso o a folha de dezembro não seja paga integralmente como pedem.

De acordo com o governador, será enviado para a Assembleia Legislativa projetos de Lei ainda nesta segunda, estabelecendo o pagamento do piso salarial aos professores temporários, que hoje recebem menos que os efetivos e o pagamento de auxílio-alimentação a todos os funcionários da Educação, no valor de R$ 500. O vale-alimentação também será estendido a todos os servidores do Estado, que recebam menos que R$ 5 mil.

“Este projeto de lei irá restabelecer o programa de auxilio alimentação para todos aqueles que recebem menos de R$ 5 mil. O impacto mensal será de 23 milhões e anual de 260 milhões em 2019”, declarou o democrata.

Na área da Segurança, Caiado anunciou que também vai enviar á Casa de Leis projeto de Lei reestruturando a Polícia Militar (PM), Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. “A chamada terceira classe será extinta”, disse.

“Com isso nós estaremos recuperando a condição e dignidade de 2.022 soldados da PM, 228 do corpo de bombeiro, e também reestruturando a carreira de escrivão de polícia e agente da polícia civil, total de 400. Também agentes da segurança prisional e de gestão prisional. O total de servidores da segurança publica são 2661, que saem daquela categoria criada por quem não tem respeito pela segurança pública”, completou o governador.

O democrata suplicou ainda, que os servidores e cidadãos tenham paciência, pois sua equipe está mostrando o que existe na conta única do Estado, antecipando o salário de janeiro, não fechando hospitais e não deixando que a polícia fique sem se deslocar para fazer a segurança de goiás.

“Então eu peço a cada uma solidariedade, que sempre foi um gesto dos goianos. Quero também pedir que reflitam, principalmente professores e professoras, nossos alunos não têm que pagar pelos crimes praticados pelos nossos antecessores, eles não podem ser vítimas do que fizeram com as finanças de Goiás. Vocês têm o meu compromisso que dezembro será pago”, concluiu Caiado.

Durante a entrevista participaram os secretários de Governo Ernesto Roller, de educação, Fátima Gavioli, e de segurança Rodney Miranda.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ayer campos

Gostaria de saber qual a posição do novo senador Kajuru sobre este tema. Kajuru vai se defrontar no Senado com situações do funcionalismo frente às quais seu temperamento e senso crítico dificilmente ficarão sossegados. Precisamos disso. Vamos ver.

Adao

Falando em senador? O kajurú que elegí esta de vez em quanto agente ate ve falar, e um tal de VANDERLAN, que tambem elegí juntamente com milares de Brasileiro, alguem sabe se elpoja tomou posse? Ninguel ve falar nele?

Márcio Couto

Meu senador JK já tinha cantado essa pedra!