Fórum das Entidades dos Servidores lamentaram que o governador Ronaldo Caiado, por meio do secretário Ernesto Roller, não aceitou nenhum das quatro propostas apresentadas. Pode haver greve

[relacionadas artigos=”159002,159163″]

Novamente sem a presença do governador Ronaldo Caiado (DEM), a reunião do governo com o Fórum das Entidades dos Servidores acabou sem nenhum acordo. No encontro, que aconteceu a portas fechadas, durou mais de três horas, estavam presentes a secretária Cristiane Schmidt, o secretário de Governo, Ernesto Roller, o secretário de Planejamento, Pedro Sales, além de outros políticos e representantes dos sindicatos.

Para a presidente do Sintego e uma das coordenadoras do Fórum, Bia de Lima, não houve acordo por que o governo continuou com a mesma proposta. “Isto não é esforço de negociação, apresentamos quatro propostas, mas nenhum foi aceita”, declarou.

Bia alertou, ainda, que na próxima segunda-feira, 21, haverá uma Assembleia Geral de todas as categorias em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira. “O governo esta intransigente e não oferece nenhuma outra proposta”, completa, concluindo que as categorias que recebem um salário menor estão passando sérias dificuldades e que a greve não deve ser descartada.

Em resposta à sindicalistas, Roller, afirmou, novamente, que o governo não tem condições de atender às propostas apresentadas pelo Fórum. “Precisamos conciliar a necessidade com a possibilidade. Nós compreendemos, respeitamos e temos convicção que um dos maiores patrimônios é o seu conjunto de servidores”, declarou, completando que “as receitas públicas não são utilizadas apenas com este item”.

O emedebista secretário de governo de Caiado frisou, ainda, que não há outra hipótese a não ser o de parcelamento da folha dezembro. “Não dispomos de fluxo de caixa, não há dinheiro”, repetiu por diversas vezes.

“Arrisco dizer que a situação do Estado é de absoluta falência e calamidade. Mas estamos evitando ao máximo medidas drásticas”, concluiu Ernesto Roller.