Em Goiás, rompimento entre Selma Bastos e o vice parece não ter volta

Prefeita petista está isolada politicamente. Não tem mais maioria na Câmara e vê o vice-prefeito se fortalecer como candidato a 2016

Prefeita Selma Bastos e o vice, durante campanha de 2012: parceria acabou | Foto: reprodução / Facebook

Prefeita Selma Bastos e o vice, durante campanha de 2012: parceria acabou | Foto: reprodução / Facebook

Sarah Teófilo
Da Cidade de Goiás

Não existe mais clima entre a prefeita da Cidade de Goiás, Selma Bastos (PT), e o vice, Rogério Azeredo (PSD). Na noite da última terça-feira (12/8), durante a  abertura do Festival Internacional de Cinema Ambiental (Fica), de grande importância para a Cidade de Goiás, os políticos nem junto se sentaram.

Em entrevista ao Jornal Opção Online, Selma garantiu que não existe rompimento por sua parte. “Tenho uma relação muito respeitosa com meu vice. Entendo que ele é meu parceiro, e não existe nenhum rompimento explícito”, afirmou

Já o vice explica que não há nada oficial, mas que os políticos não possuem mais um canal de conversa, tampouco se ajudam. De acordo com ele, o motivo seria por não ter um espaço na gestão que foi prometido na campanha. “Por não ter espaço, eu simplesmente me afastei”, garantiu.

Rogério já fala que pretende concorrer à prefeitura da cidade em 2016, disputando contra a petista. Na verdade, as articulações já ocorrem. Após a solenidade de abertura, no Palácio Conde dos Arcos, o vice-prefeito andou por algumas ruas da cidade ao lado do deputado estadual Virmondes Cruvinel (PSD). O mais votado na cidade de Goiás, Virmondes afirma que o PSD apoia a candidatura do vice na cidade. “É uma liderança que irá fomentar a economia da cidade”, disse.

Sem maioria na Câmara e sem o apoio do vice, a situação política de Selma não é das melhores. A prefeita assegura, entretanto, ver tudo “com muita naturalidade”. Com crítica à gestão, ela explica que quando tomou posse a cidade estava cheia de dívidas, e que só agora está conseguindo evoluir com o município. “A crise em Goiás existe  desde quando entramos no governo. Vejo que estamos avançando”, sustenta.

Recentemente, Selma recebeu uma determinação do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), dizendo que a petista deveria pagar os servidores municipais até o quinto dia do mês. A decisão foi feita após reivindicação do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Goiás (Sindigoiás), que disseram que estavam sendo pagos até 20 dias após o término do mês de trabalho.

Selma garante que nunca houve problema com o pagamento dos servidores, e que paga os servidores no máximo até o dia 10. “Nós buscamos pagar até o 5º dia útli, mas com as dificuldades que o município tem enfrentado, em alguns meses pagamos dia 10”, disse, explicando que precisa do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FTM) para honrar o compromisso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.