“Em Goiás não aceitamos abusos de autoridade”, diz Caiado sobre prisão de dirigente do PT

Secretário estadual do Partido dos Trabalhadores foi preso por PM ao se recusar a tirar do carro a faixa com o texto “Fora Bolsonaro genocida”; o caso ganhou repercussão nacional e o dirigente já foi liberado

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM); Tenente Albuquerque e secretário estadual do PT, Arquidones Bites | Fotos: Reprodução

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, 1, o governador Ronalo Caiado (DEM), reiterou o posicionamento oficial emitido pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) na noite da última segunda-feira, 31, acerca da prisão do dirigente do PT por Tenente da PM.

“As medidas foram tomadas. O secretário de Segurança Pública, como comandante da Polícia Militar deixou claro que nós em Goiás não aceitamos, de maneira alguma, abusos de autoridade”, disse.

Na noite da última segunda-feira, o Tenente Albuquerque prendeu o secretário estadual do PT, Arquidones Bites, que se recusou a retirar do capô do carro a faixa com o texto “Fora Bolsonaro genocida”. O caso ocorreu em Trindade. O dirigente do Partido dos Trabalhadores foi liberado da Delegacia após a Polícia Federal analisar o caso e entender que não houve crime – ainda que Albuquerque tenha tentado enquadrar Arquidones na Lei de Segurança Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.