Em Goiás, mais de 700 empresas estão irregulares e podem perder o Simples Nacional

Prazo para regularização de documentos ou pagamentos pendentes vai até 12h do dia 31 de janeiro

Empresas podem perder enquadramento no regime Simples Nacional por falta de documentação, débito ou atuação fora das regras / Foto: Divulgação

Pendências em documentações podem levar 739 empresas a perderem o Simples Nacional. Os dados são da Secretaria da Receita Federal, que constatou falta de documentos, excesso de faturamento, débitos tributários, parcelamentos pendentes ou o exercício pela empresa de atividades não incluídas no regime são as maiores infrações das empresas, que foram notificadas em 2019.

Cerca de 600 empresas estavam em débito com o Estado, no ano passado, e a maioria não conseguiu regularizar a situação. Os empresários podem tentar retornar ao Simples até as 12h de 31 de janeiro, pelo site da Receita Federal. Por meio do pagamento de débitos dos impostos do DAS, o empresário pode parcelar sua dívida junto ao Estado. Essa é uma das formas de regularizar a situação.

“Uma vez que se perde o prazo, somente em 2020 para fazer a adesão. A empresa que fica fora do Simples terá que optar pelo Lucro Real ou Lucro Presumido, e dependendo do caso os impostos podem aumentar bastante”, explicou o presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Goiás, Rangel Francisco Pinto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.