Em Goiânia, moradores desafiam polícia e saem em defesa de mendigo alvejado por PM

Conhecido na região do Setor Aeroporto por vizinhos, homem foi atingido na perna por um agente depois de ter sido flagrado com uma faca

Este slideshow necessita de JavaScript.

A presença de quatro viaturas da Polícia Militar (PM) na Rua 1-A, no Setor Aeroporto, em Goiânia, no início da noite deste sábado (19/8), chamou a atenção de moradores da região, depois que um mendigo foi atingido na perna por um agente da corporação.

Figura carismática da região, o homem foi defendido por ao menos 10 moradores, que chegaram a desafiar os militares e questionar a possível reação desproporcional. Segundo a PM, ele estava com uma faca em mãos, quando o agente — que não foi identificado — resolveu atirar.

Ao Jornal Opção, um dos moradores disse que presenciou a abordagem policial e garantiu que o homem não reagiu. “Só atiraram mesmo”, relatou.

Vídeo gravado pela reportagem mostra uma moradora discutindo com um dos policiais. Segundo ela, não havia motivo para “tamanha violência”. “Tem que dar um tiro no coitado?”, questionou ela ao policial que aparece nas filmagens. (Veja abaixo)

O coronel responsável pela operação se recusou a falar com a imprensa. Aos moradores, outro militar argumentou que não era a primeira vez que o homem havia “entrado em confronto” com agentes.

O morador de rua foi socorrido pelo Samu e encaminhado a uma unidade de saúde da capital.

Reposta da PM

Procurada pela reportagem, a assessoria de comunicação da PM informou que o “suposto morador de rua” tem passagem por homicídio e chegou a ficar preso por três anos e oito meses. Segundo a corporação, a polícia teria sido chamada por um vizinho que teve a passagem para a própria casa impedida pelo homem.

Ainda de acordo com a PM, ele teria sido convidado pelos agentes a deixar o local, mas teria reagido e ido pra cima da equipe policial com uma faca. Também disse que o suspeito foi agressivo e não deixou ser revistado.

Informou, por fim, que, em outra operação, o homem já havia entrado em confronto com a polícia, chegando a arremessar uma lata de tíner contra o rosto de um policial, que teria “quase ficado cego”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.