Em discurso de posse, Bolsonaro reforça combate a ideologias em seu governo

Presidente eleito destacou, ainda, promessas feitas durante campanha, como a posse de armas

Foto: Reuters/Divulgação

Na manhã desta terça-feira, 1°, após assinar termo de posse como presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) fez discurso em que reforçou as promessas feitas durante a campanha e garantiu que irá combater viés político e “ideologia de gênero”.

Na ocasião, o presidente eleito agradeceu a Deus por estar vivo após atentado sofrido em ato de campanha, em setembro de 2018. “Pelas mãos de profissionais da Santa Casa, que operaram milagre”, disse, referindo-se ao atendimento recebido quando foi atingido por uma facada.

Ele fez o compromisso de governar com o povo e “resguardar a esperança dos compatriotas”. E pediu, ainda, apoio dos congressistas para “reerguer o País da irresponsabilidade econômica e submissão ideológica”.

Uma das máximas de sua candidatura, Bolsonaro diz que pretende unir o povo, respeitar a família e as religiões, sobretudo, “a tradição judaico-cristã”.

“Vamos libertar (o País) das amarras ideológicas e combater a ideologia de gênero”, afirmou. Segundo ele isso reforça o slogan “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

Bolsonaro também destacou sua eleição e avaliou que a vitória foi movida por “um movimento espontâneo, forte e indestrutível, nada aconteceria sem o esforço e engajamento de cada um dos brasileiros”.

Ele também reafirmou compromisso de construir uma sociedade sem discriminação, em referência às acusações de preconceito de que é alvo.

Pauta principal de sua campanha, o presidente eleito também declarou que tem sonho de garantir a liberdade de ir e vir do povo “sem serem vitimados pelo crime” e o fará por meio de valorização da Segurança Pública.

Segundo ele, manterá a promessa de regulamentar a posse de armas para legítima defesa e “honrar e valorizar aqueles que sacrificam suas vidas pela segurança”, remetendo-se às autoridades policias.

Além disso, Bolsonaro destacou a formação de seu time. “Montamos nossa equipe técnica, sem o tradicional viés político”. E, com isso, reforçou as medidas econômicas, como maior abertura do mercado e valorização do setor agropecuário, com respeito ao Meio Ambiente.

“A irresponsabilidade nos conduziu a maior crise ética, moral e econômica do País”, afirmou em crítica a governos anteriores e se comprometeu a proteger a Democracia. Bolsonaro encerrou fala pedindo benção de Deus e agradecendo apoio da família e força do povo brasileiro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.