Em 2021, Brasil bateu recorde de importação de diesel

Oscilações na proporção do biodiesel estariam entre as principais causas no aumento da importação

Em 2021, o Brasil bateu recorde de importação de diesel, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Com o maior resultado desde os anos 2000 e 20,4% a mais que 2020, o país importou cerca de 14, 4 milhões metros cúbicos de diesel A (puro, em biodiesel).

A parada programada para manutenção da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), estaria entre as principais razões que justificaria o aumento da importação. Começando em julho e durando 45 dias, foi feita manutenção em mais de 3 mil equipamentos, entre compressores, motores, vasos, permutadores de calor, válvulas, reatores, entre outros. A Petrobras, dona da Rnest, já havia programado essa pausa há dois anos.

“Em relação ao mercado local, o óleo diesel será atendido com os estoques planejados e disponíveis na refinaria. Eventuais necessidades poderão ser supridas por meio de recebimento de cabotagens ou até mesmo importações“, avisou a Petrobras, em nota, na época da manutenção. Cerca de 70% de toda a produção de derivados da Rnest é de diesel.

Outro ponto fundamental para o aumento das importações, conforme afirmou a ANP, seria as oscilações na proporção do biodiesel durante o ano de 2021. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), em uma resolução em 2018, estabeleceu que nos anos seguintes seria colocado uma adição menor biocombustível, como forma de incentivar o biocombustível.

No ano de 2021, a previsão da proporção mínima era de 13%. Porém, entre maio e dezembro esse número reduziu com o intuito de diminuir os preços dos combustíveis, segundo o CNPE. Com essa redução, a participação do diesel A no produto final para os consumidores foi mais solicitada fazendo com que a importação do produto aumentasse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.