Elias Vaz protocola pedido na PGR para investigação de superfaturamento em compras das Forças Armadas

Documento entregue a Procuradoria Geral da República foi assinado por parlamentares do PSB e pede investigação de preços superfaturados

Deputado comparou o valor dos pregões com o preço vendido em supermercados| Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) protocolou na Procuradoria Geral da República (PGR) pedido de abertura de investigação dos processos de compra de cerveja, picanha e carvão vegetal para as Forças Armadas. Além de Elias Vaz, assinaram o documento os deputados do PSB, Alessandro Molon (RJ), Lídice da Mata (BA), Aliel Machado (PR), Bira do Pindaré (MA), Camilo Capiberibe (AP), Denis Bezerra (CE), Marcelo Nilo (BA) e Vilson Luiz da Silva (MG). O documento foi encaminhado ao procurador Augusto Aras. 

Os valores das compras foram identificados no Painel de Preços do Ministério da Economia. O deputado goiano identificou um superfaturamento de até 67% nas compras das Forças Armadas. Segundo Elias Vaz, o governo destinou milhões para a compra de itens desnecessários e com preços abusivos enquanto o Brasil passa por uma pandemia. 

O processo para a compra em pregões já homologados no Exército e na Marinha mostram a discrepância de valores entre os produtos adquiridos pelas instituições. É possível encontrar no supermercado os mesmos produtos com preços menores do que os valores que constam nos pregões. O deputado goiano criticou a lógica das compras das Forças Armadas. “Não há a menor lógica de um consumidor comum pagar menos por um produto no varejo que o governo. Em uma compra de grande volume, sempre há descontos e preços mais baixos”, pontuou. 

Além dos valores acima de mercado, o parlamentar criticou os itens comprados pelas Forças Armadas. Elias Vaz citou o exemplo da compra superfaturada de cortes de picanha enquanto grande parte da população trabalha diariamente para garantir o arroz e feijão para as suas casas. “São revoltantes a falta de austeridade e o desrespeito com o dinheiro público em compras desnecessárias e com preços superfaturados. Esperamos uma investigação rigorosa da PGR e uma satisfação à sociedade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.