Eleições indiretas vão escolher novo governador do Tocantins no próximo domingo

Nove chapas estão na disputa. Atualmente, Estado é administrado pelo presidente da Assembleia e pré-candidato ao governo interino, Sandoval Cardoso (SDD). Pleito vem após um mês da renúncia do ex-governador Siqueira Campos e de seu vice

Os deputados estaduais do Tocantins vão eleger de forma direta o próximo governador do Estado e seu vice na manhã do próximo domingo (4/5). No total, nove chapas vão concorrer ao cargo interino, que será exercido até o dia 31 de dezembro. A votação será no plenário da Assembleia Legislativa de Palmas. O pleito ocorre um mês após a renúncia do ex-governador Siqueira Campos (PSDB) e de seu vice, João Oliveira (DEM).

Entre os pré-candidatos ao governo interino estão o deputado Marcelo Lelis (PV, à esquerda), José Augusto Pugliese (PMDB) e Paulo Mourão (PT)

Entre os pré-candidatos ao governo interino estão o deputado Marcelo Lelis (PV, à esquerda), José Augusto Pugliese (PMDB) e Paulo Mourão (PT)

Na quinta-feira (1°), cinco candidatos se inscreveram na Assembleia –– o prazo para protocolar os pedidos era até as 10h de ontem. José Augusto Pugliese (PMDB), Paulo Mourão (PT), Fábio Ribeiro (PSOL), Nuir Júnior (PMN), Eli Borges (PROS), Marcelo Lelis (PV), Sandoval Cardoso (SDD), Adail Pereira (PSDC) e Izabela Suarte (PPL) estão na disputa. O PPL foi o último partido a colocar o nome na lista de pré-candidatos, inclusive com alguns minutos de atraso do horário estabelecido. Com isso, cabe à Mesa Diretora da Casa definir se o pleito será aceito ou não.

A votação está prevista para começar às 10h do domingo. Cada parlamentar irá votar diretamente, de pé e em voz alta. Caso a disputa termine em empate, o candidato mais velho será eleito. A Assembleia tem 24 deputados.

Renúncia

As eleições indiretas são necessárias porque o tucano Siqueira Campos anunciou a renúncia ao governo no dia 4 de abril –– a carta com o conteúdo foi publicada um dia depois no Diário Oficial do Tocantins. O afastamento é necessário para que o filho dele, Eduardo Siqueira Campos (PSDB), possa concorrer ao governo. Já João Gomes renunciou a vice-governador no dia 3 motivado também por finalidade eleitoral.

Atualmente, Tocantins é governado pelo presidente da Assembleia, o deputado e pré-candidato ao governo interino Sandoval Cardoso (SDD). A transmissão do cargo ocorreu durante inauguração da pavimentação da TO-458, que liga a rodovia TO-050 ao município de Ipueiras.

Siqueira Campos estava no quarto mandato e retornou ao poder em 2011. Ele pode concorrer à reeleição, mas para isso não precisaria renunciar. Um caminho que ele pode tomar é a candidatura ao Senado Federal. Até o momento, no entanto, o tucano não se posicionou qual opção irá seguir.

Eduardo Siqueira Campos (à esquerda) tem caminho livre para disputar governo estadual com a renúncia de seu pa, o ex-governador Siqueira Campos. Ambos são do PSDB. Foto: Renan Accioly/Jornal Opção/Arquivo 5 de junho de 2013

Eduardo Siqueira Campos (à esquerda) tem caminho livre para disputar governo estadual com a renúncia de seu pai, o ex-governador Siqueira Campos. Ambos são do PSDB. Foto: Renan Accioly/Jornal Opção/Arquivo 5 de junho de 2013

Resolução

As regras para as eleições diretas aos cargos de governador e vice foram aprovadas no dia 22 de abril em projeto de resolução criado pela Mesa Diretora da Assembleia. Dentre os 12 artigos, há os que preveem que as chapas com os candidatos sejam apresentadas em até três dias antes das eleições.

Outro artigo prevê que 13 dos 24 votos possíveis em primeira votação sejam capazes de eleger o candidato. Caso ninguém atinja a maioria absoluta, vence quem tiver mais votos dos deputados presentes no plenário na segunda votação.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.