Presidente da Saneago comentou sobre sugestão de Ronaldo Caiado, depois que governador eleito propôs corte em benefícios fiscais

Jalles Fontoura | Foto: Jornal Opção

O presidente da Saneago, jalles Fontoura, comentou, nesta quinta-feira (22/11), sobre a polêmica sugestão do governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) de reduzir incentivos fiscais a 13 segmentos. “Acho que essa questão do incentivo tem que ser olhada com muita cautela, porque o governo de Brasília esta lançando um rigoroso esquema de incentivo”, alertou.

Jalles disse que teme que indústrias de Goiás mudem para o Distrito Federal. “Essa questão [convalidação dos incentivos fiscais] foi a grande razão de uma geração de milhares de empregos, desenvolvimento do Estado de avanço da economia goiano”, declarou, completando que o imposto que estas empresas pagam hoje, tem crescido de forma maior que a economia”.

O presidente da Saneago reiterou que é necessário avaliar se essa redução não vai expulsar empresas de Goiás, mas concorda que é preciso “estudar se há alguma empresa ou outra que pode ter incentivos cortados”.

Sobre a divida do Estado, motivo de divergência entre as equipes de transição dos governos, Jalles afirmou que Goiás deve menos de um ano de arrecadação de receita e, segundo ele, “isso é bom, se comparado a outros Estados”.

“O que tem que acontecer é cortar gastos e reduzir despesas com pessoas contratadas pelo governo e secretarias. Fazer analise rigorosa e razoável sobre tudo”, concluiu.