Diferença cai, mas mulheres ainda realizam mais afazeres domésticos que os homens

Pesquisa mostra relação entre a realização dos afazeres domésticos e nível de instrução

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2019 do IBGE mostra que a população está mais envolvida com os afazeres domésticos no próprio domicílio. Em 2019, 89,3% dos goianos (5,1 milhões de pessoas) fizeram alguma atividade de afazer doméstico.

O levantamento aponta que a taxa de realização das mulheres é maior que a dos homens, porém essa diferença vem diminuindo ao longo dos anos.

Segundo o IBGE, esses afazeres envolvem preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar as louças; cuidar da limpeza ou manutenção de roupas e sapatos; fazer pequenos reparos ou manutenção do domicílio, automóvel, eletrodomésticos ou outros equipamentos; limpar ou arrumar o domicílio, garagem, quintal ou jardim; cuidar da organização do domicílio (pagar contas, contratar serviços, orientar empregados); e cuidar dos animais domésticos.

Quando observados por grupos de idade em Goiás, em 2019, o grupo que mais realizou afazeres domésticos foi da faixa etária entre 25 e 49 anos (92,5% de realização) e a faixa etária que menos realiza é a faixa entre 14 e 24 anos (82,6%).

Em todos os grupos as mulheres realizaram mais afazeres domésticos que os homens

Já a análise por cor ou raça mostra que o grupo que tem maior taxa de realização são os de cor preta (91,2%) e os que menos realizam são os de cor branca (88,8%). Em todos os grupos as mulheres realizaram mais afazeres domésticos que os homens.

A posição na ocupação também apresenta diferença em relação à taxa de realização dos afazeres domésticos, sendo que 91,0% das pessoas residentes em Goiás ocupadas realizaram afazeres domésticos na semana de referência enquanto 86,7% dos goianos não ocupados realizaram alguma atividade de afazer doméstico.

Para os homens a diferença foi mais expressiva pois entre os ocupados a taxa de realização em 2019 foi 86,8% contra 76,5% dos não ocupados.

Tanto para os homens quanto para as mulheres há uma relação direta entre realização dos afazeres domésticos e o nível de instrução, sendo que a maior escolaridade aumenta a taxa de realização. Em Goiás, em 2019, 92,1% daqueles que possuíam superior completo realizavam afazeres doméstico enquanto a taxa daqueles que não possuíam instrução ou tinham fundamental incompleto era de 87,8%.

Analisando o tipo de afazer doméstico, em Goiás as mulheres realizam mais atividades que os homens em todos os grupos com exceção do grupo de reparos ou manutenção do domicílio, automóvel, eletrodomésticos e outros. As maiores diferenças são no grupo de limpeza ou manutenção de roupas e sapatos que 94,1% das mulheres realizaram em 2019 contra 59,6% dos homens; preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar a louça foi realizado por 96,1% das mulheres contra 63,8% dos homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.