Deputados estaduais do PMDB negam dificuldade em compor chapão com o DEM

Aliança proporcional entre as duas siglas inclui apoio à reeleição do democrata Helio de Sousa, que sempre se mostrou favorável à ida de Ronaldo Caiado para a base aliada

montagem

Deputados Luiz Carlos do Carmo e Paulo Cezar Martins negam impasses para chapão com o DEM por aversão a apoio ao democrata Helio de Sousa, ligado, até recentemente, à base marconista

Os deputados estaduais Paulo Cezar Martins e Luiz Carlos do Carmo, do PMDB, negaram em entrevista ao Jornal Opção Online nesta quarta-feira (25/6) haver entre parlamentares peemedebistas incompatibilidade em compor com o DEM para formar aliança proporcional para as vagas na Assembleia Legislativa. A polêmica neste sentido seria para não auxiliar na reeleição do democrata Helio de Sousa, tido como apoiador da candidatura do governador Marconi Perillo (PSDB) em detrimento da de Iris Rezende, cabeça da chapa em que Ronaldo Caiado vai sair ao Senado.

Para Luiz Carlos do Carmo, que foi convidado por Caiado para ser seu suplente, caso exista essa linha de pensamento desfavorável ao DEM, o PMDB estaria errando. “Nós, quando fechamos, inclui tudo. O Hélio é um excelente deputado”, pontua. Para o peemedebista, os rumores neste sentido podem ter saído da base aliada, não do PMDB ou do DEM.

“Ninguém do meu partido tem o direito de falar em meu nome. Eu sou favorável à união com o DEM para a proporcional. Vou trabalhar dia e noite para eleger o Caiado, não só ele, é claro, que [trabalharei por] nossa chapa inteira”, diz, enumerando que a formatação da chapa proporcional com o DEM ajudaria mais o PMDB do que o contrário, tendo em vista o número de vagas a preencher na Assembleia por nomes peemedebistas.

Já Paulo Cezar Martins diz acreditar que Helio de Sousa não estaria em uma coligação trabalhando por outra. “Pelo pouco que conheço dele, penso que não faria isso”, comenta. Para o peemedebista, caso o democrata venha a atuar contrário à chapa PMDB-DEM, estaria dando abertura para os peemedebistas abrirem mão de apoiar Caiado.

O deputado diz desconhecer entre seus colegas de partido essa situação quanto à proporcional entre as duas siglas. “Conversei ontem com o Helio e ele até brincou. Disse assim: ‘esses dias estava de um lado e agora estou com você´”, relata Paulo Cezar.

A reportagem ligou também para os deputados peemedebistas Bruno Peixoto e Samuel Belchior, além do democrata Helio de Sousa, para comentarem o assunto, mas até o início da tarde as ligações não foram atendidas ou retornadas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.