Deputado Paulo Trabalho manda Alexandre de Moraes “catar coquinho”

Ao defender o deputado federal Daniel Silveira por circular sem a tornozeleira eletrônica, parlamenta afirma que indulto é constitucional

O deputado estadual Paulo Trabalho (PL) mandou o ministro Alexandre de Morais “catar coquinho” nesta terça-feira, 26. Ao falar da determinação de Alexandre de Moraes ao solicitar que a defesa de Daniel Silveira (PTB-RJ) se manifestasse em 48 horas sobre o parlamentar estar descumprindo uma série de medidas restritivas impostas pela Corte, o parlamentar escreveu em uma rede social que “é a massa jogando o pedreiro na parede”. O indulto é constitucional, não tem que o que explicar”, alega.

A crítica ocorreu depois que o deputado Daniel Silveira circulou pela Câmara dos Deputados sem usar a tornozeleira eletrônica. Ao ser questionado por jornalista presente, o parlamentar afirmou que nem era para ele ter usado. “Estou sem ela”, justificou. O parlamentar havia colocado o equipamento no dia 31 de março, após decisão de Alexandre de Moraes. A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Distrito Federal informou ao Supremo que a tornozeleira do parlamentar está descarregada desde o domingo de páscoa. 

Daniel Silveira é réu por suposta incitação de atos que foram considerados antidemocráticos contra instituições da República e a própria Corte. O parlamentar foi detido por nove meses em um presídio em Niterói, na região Metropolitana do Rio de Janeiro, até ser revogada a prisão pelo ministro do Supremo, Alexandre de Moraes. A Câmara dos Deputados chegou a apreciar a decisão. Por maioria, os deputados decidiram atender a determinação judicial. 

Uma resposta para “Deputado Paulo Trabalho manda Alexandre de Moraes “catar coquinho””

  1. É, a cabeça do ministro parece, mesmo, um coco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.