As negociações para a presidência da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) estão a todo vapor. Nesta quarta-feira, 26, o líder do governo, deputado Bruno Peixoto (União Brasil) apresentou duas propostas. A primeira é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com a possibilidade de reeleição à presidente no parlamento goiano.

“Apresentei a proposta por entender ser salutar para a Casa apenas um mandato e a grande maioria dos pares tiveram o mesmo entendimento”, esclarece Peixoto. Para aprovar a PEC são necessárias 10 sessões ordinárias, a partir da distribuição na Comissão de constituição Justiça e Redação (CCJ) que deve acontecer na próxima terça-feira, 01.

Atualmente, o parlamentar considera desigual a disputa, pois acaba favorecendo o presidente que tem o poder de “barganhar cargos” em troca de aglutinar apoio para reeleição.  “Nós temos hoje uma estrutura, que nós chamamos de cargo da secretaria, que á indicações por parte dos parlamentares. O presidente tem essa autonomia, inclusive de indicações em comissões conforme o Regimento Interno. Então, ele acaba sendo fortalecido em uma disputa de reeleição”, avalia.

A segunda proposta, altera o Regimento Interno da Casa visando a participação permanente do líder do governo nas comissões permanentes. “É uma vaga permanente para o líder do governo na CCJ e na Comissão de Tributação Finanças e Orçamento”, esclareceu.

Presidência

Nós bastidores, Bruno já viabiliza sua eleição para presidente. Alguns parlamentares já foram procurados para aglutinar apoio. O líder também já solicitou uma lista com os cargos comissionados da Casa para “estudar” o quadro de funcionários.

 “Serei candidato se o nosso governador assim entender”, é o que diz Bruno. “Eu ainda não iniciei esse diálogo com os pares”, emenda. Apesar de negar, o Jornal Opção procurou alguns “pares”, que garantiram que Bruno já tem articulado apoio.

Como era

Em junho de 2019, o deputado Virmondes Cruvinel (União Brasil) apresentou a PEC nº 331/16, que autorizou a reeleição do presidente da Assembleia Legislativa, que passou a ser permitido na Constituição Estadual e no Regimento Interno da Casa.