Deltan Dallagnol diz que “cogitar que um partido independente seria ‘laranja’ de procuradores é surreal”

Em nova revelação, Uol e The Intercept apontam que coordenador da Lava Jato teria articulado para Rede entrar com ADPF contra ministro Gilmar Mendes

Nesta quarta, 7, o procurador Deltan Dallagnol se defendeu da matéria publicada pelo UOL e o The Intercept sobre a suposta utilização de partido político para mover ação contra o ministro Gilmar Mendes, no Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o coordenador da Lava Jato em Curitiba, “cogitar que um partido independente seria ‘laranja’ de procuradores é surreal”.

Ainda conforme Deltan, este contato do Ministério Público com entidades da sociedade civil, públicas e privadas, a fim de defender interesse social é lícito. “É regular também o fornecimento de informações públicas e subsídios”.

“Essas mensagens oriundas de crimes e sem autenticidade comprovada têm sido usadas para fazer falsas acusações. Qualquer cidadão, inclusive procuradores, pode sugerir medidas de interesse público para um senador”.

Nas mensagens, algumas pessoas apontavam que o discurso confirmava a mensagem e defendia o ato. Outras depositavam a confiança no procurador.

Mensagens

O procurador Deltan Dallagnol teria utilizado a Rede Sustentabilidade, com articulação envolvendo o senador do partido, Randolfe Rodrigues, para propor ação no STF contra Gilmar Mendes, conforme mensagens enviadas anonimamente ao The Intercept e analisadas junto com o UOL. O resultado teria sido uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no supremo para impedir que o ministro soltasse presos em processos que ele não fosse o magistrado.

Conforme revelado em matéria do UOL, a negociação de Deltan e outros membros da força-tarefa aconteceu a partir de 9 de outubro do ano passado, sendo que dois dias depois a Rede protocolou a ADPF. Procuradores da República só podem atuar em causas de primeira instância, o que impedia a ação direta no Supremo. A competência para este ato era, então, da Procuradoria-Geral da República, comandada por Raquel Dodge.

Melhor solução”

No grupo Filhos do Januário 3, em 9 de outubro, Dallagnol afirmou que “Gilmar provavelmente vai expandir decisões da Integração pra Piloto. Melhor solução alcançada: ADPF da Rede para preservar juiz natural”.

Mais tarde ele complementou: “Randolfe: super topou. Ia passar pra Daniel, assessor jurídico, já ir minutando. Falará hoje com 2 porta-vozes da Rede para encaminhamento, que não depende só dele”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.