Delegado Waldir é retirado da CCJ e diz que troca foi feita por “barganha”

PR substituiu Delegado Waldir (GO), Jorginho Mello (SC), Marcelo Delaroli (RJ) e Paulo Freire (RJ)

Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O deputado federal Delegado Waldir (PR) foi retirado da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara nesta segunda-feira (10/7) pelo Partido da República. O colegiado deve votar esta semana sobre aceitar ou não a denúncia contra o presidente Michel Temer.

Ao saber que seria substituído, o delegado se revoltou e disse que soube da decisão pela imprensa. “Me venderam, fui vendido. Nojentos. É barganha. Sabe o que é barganha para se manter no poder?”, gritou.

“Não me vendo por votos, não troco por cargos, não troco por emendas. Lixo de governo”, acrescentou ele aos berros.

O PR substituiu 4 dos 5 titulares que tem na CCJ: Delegado Waldir (GO), Jorginho Mello (SC), Marcelo Delaroli (RJ) e Paulo Freire (RJ). Apenas Edio Lopes (RR) permanece na comissão.

No lugar, entram os deputados Bilac Pinto (MG), Laerte Bessa (DF), Magda Mofatto (GO) e Milton Monti (SP).

Nos últimos dias, lideranças partidárias aliadas ao governo têm trocado os membros da comissão que podem votar pela admissibilidade da denúncia, com o objetivo de conseguir uma maioria a favor de Temer.

De acordo com o deputado Beto Mansur (PRB-SP), um dos principais articuladores de apoio da base aliada do governo, disse que até o momento foram substituídos 12 membros na CCJ.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.