Delegado confirma que há outros laboratórios em Goiânia acusados de falsificar exames

Investigado por fraude, laboratório credenciado à Prefeitura de Goiânia foi interditado nesta quinta-feira (22)

Divulgação

Após a interdição do Imuno Laboratório Clínico, alvo de ação da Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (22/3), por suspeita de fraude em exames de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e caótica condições de armazenamento de materiais colhidos, vários outros laboratórios de Goiânia podem ser fechados nos próximos dias. A informação é do delegado Izaías Pinheiro, responsável pelo caso.

Segundo Izaías, em entrevista ao Jornal Opção, a investigação continua em parceria com a Vigilância Sanitária em outros locais que se encontram na mesma situação.

O Imuno Laboratório Clínico, localizado no setor Aeroporto, utilizava materiais para a realização dos procedimentos de forma negligente. As amostras de sangue eram colhidas pela faxineira, e o material coletado era guardado em uma geladeira, junto com alimentos.

As investigações apontam ainda que o equipamento de exames estava quebrado, portanto os resultados eram analisados a olho nu. Além disso, de acordo com a polícia, kit indicado para realizar cerca de 50 exames era usado mais de 600 vezes.

Por isso, a corporação trabalha com a possibilidade de que vários exames realizados no laboratório estejam com resultado adulterado e fora da condição médica do paciente.

O farmacêutico Selim Jorge João e o biomédico Edson Yukazu Ozawa foram presos e vão responder por crimes contra a saúde, falsificação de exames e desvio de dinheiro público.

SMS

A unidade firmou convênio com a gestão municipal no ano de 2014 e renovou o credenciamento no último ano, conforme consta em Diário Oficial da época.

Nesta quarta-feira (21), o Jornal Opção publicou a denúncia de que médicos da rede pública municipal estavam desconfiados da veracidade dos resultados apresentados pelos laboratórios contratados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Procurada pela reportagem por diversas vezes, a pasta ainda não se pronunciou.

Deixe um comentário