Durante entrevista coletiva, o secretário-geral de Governo de Goiás, Adriano da Rocha Lima, afirma que o reajuste será dado para todas as categorias, incluindo servidores ativos, inativos e aposentados

Na noite desta quinta-feira, 4, o secretário-geral de Governo de Goiás, Adriano da Rocha Lima, anunciou o reajuste geral para os servidores ativos, inativos e aposentados do Estado. A reposição salarial terá como teto a inflação do último ano e já será válida para o mês de março. Segundo Lima, é a primeira vez desde 2016 que os servidores terão seus salários aumentados.

O secretário explica que a gestão de Ronaldo Caiado (União Brasil) não conseguiu repor os salários anteriormente, pois recebeu o Estado de Goiás “quebrado”. “Goiás vem crescendo, com a arrecadação aumentando e políticas públicas em diversas áreas. Nos primeiros anos, pela situação orçamentária ruim, isso não pôde ser feito, pois estávamos quebrados. Mas conseguimos evoluir”, disse durante a coletiva de imprensa.

Ainda, segundo Adriano, o reajuste será concedido a todos os servidores pois aqueles que já estão aposentados “não têm outra forma de recuperação salarial, uma vez que não são beneficiados com progressões e nem promoções”. “Vamos tratar todos os servidores de forma isonômica”, afirma. Sobre a porcentagem exata de aumento, o secretário diz que “as categorias não fizeram uma proposta de índice e que não é possível passar um reajuste acima da inflação dos últimos 12 meses”. Dessa forma, o valor-limite é de 10,16%, imposto pelo Regime de Recuperação Fiscal (RRF), ao qual o Estado de Goiás aderiu no ano passado.

Para a próxima terça-feira, 8, está marcada uma reunião com os líderes sindicais sobre a proposta. De acordo com o secretário, às 13h, será “batido o martelo”.