CPI da Covid é protocolada no Senado e parlamentares goianos assumem posições antagônicas

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), obteve 29 assinaturas para protocolar o pedido no Senado, duas a mais do que o mínimo necessário

Luiz Carlos do Carmo e Jorge Kajuru assumiram lados opostos| Montagem: Jornal Opção

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), anunciou em suas redes sociais que protocolou o pedido da CPI da Covid no Senado. Segundo Randolfe, o objetivo desta CPI é “investigar as falhas, omissões e responsabilidades do Governo na condução da crise da pandemia”. O requerimento de CPI conta com 29 assinaturas, duas a mais do que as 27 necessárias para solicitar a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito na casa. A decisão de instaurar ou não a CPI cabe ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). 

Em Goiás, os senadores assumiram posições antagônicas. De um lado, Jorge Kajuru (Cidadania), revelou ao Jornal Opção que a ideia para a criação da CPI partiu dele, juntamente com Randolfe Rodrigues. Caso seja instaurada por Rodrigo Pacheco, Kajuru espera que os senadores que assinaram o documento tenham independência durante o processo. “Nós vamos seguir em frente. Esperamos que os outros companheiros tenham a mesma independência que a gente para mostrar o desastre que foi o tratamento a pandemia nesse país”. 

Por outro lado, o senador Luiz do Carmo (MDB), disse ao Jornal Opção que não foi procurado por Randolfe Rodrigues. Entretanto, caso fosse procurado, não assinaria o documento, pois o senador acredita que não está na hora de fazer uma CPI . Segundo Luiz do Carmo, os poderes precisam trabalhar juntos para encontrar soluções para a aquisição de vacinas, tendo em vista que o Brasil ainda passa pela pandemia. “Não está na hora de discutir quem está certo ou quem está errado, é hora de discutir e achar uma solução para o problema. Uma CPI tumultua tudo, não se vai a lugar nenhum”, pontuou o senador.

O Jornal Opção entrou em contato com o senador Vanderlan Cardoso, entretanto não obteve resposta até o fechamento da matéria. O espaço está aberto para a manifestação do senador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.