O atacante Neymar teve seu contrato com o Al-Hilal, da Arábia Saudita, suspenso por dois anos a pedido do técnico Jorge Jesus. Contrariamente ao que se pode pensar devido à grave lesão no joelho esquerdo, que o afastará dos gramados por oito a dez meses, a decisão é motivada por questões burocráticas e estratégicas do clube.

De acordo com o jornal italiano Corriere dello Sport, o Al-Hilal deseja liberar uma vaga de estrangeiro para adquirir outro jogador na janela de transferências de janeiro. Jorge Jesus, ex-Flamengo, solicitou a contratação de um lateral-esquerdo. Para viabilizar isso, o clube optou por suspender temporariamente o contrato de Neymar, abrindo espaço para a chegada de outro estrangeiro ao futebol saudita.

Neymar se lesionou durante o jogo do Brasil contra o Uruguai, pelas Eliminatórias, no primeiro tempo, ao romper o ligamento cruzado anterior e nos meniscos do joelho esquerdo. Substituído e retirado de campo em uma maca, o jogador foi operado na semana passada, em Belo Horizonte, pelo médico Rodrigo Lasmar, do Atlético-MG e da seleção brasileira.

Contratado pelo Al-Hilal em 15 de agosto, aos 31 anos, Neymar tinha vínculo com o Paris Saint-Germain até 2027. Além dos valores expressivos, seu contrato inclui regalias como uma mansão com empregados, diversos bônus e a presença da namorada Bruna Biancardi na Arábia Saudita.

Com poucas participações em campo em 2023, Neymar, principal nome do Al-Hilal para a temporada, jogou apenas cinco vezes e marcou um gol. A suspensão do contrato não exime o clube saudita da responsabilidade de continuar pagando o salário do jogador durante o período em que estiver inativo.

Leia também: