Conselho de Ética aprova cassação do mandato da deputada Flordelis

Perda do mandato ainda depende de votação do plenário da Câmara, que precisa aprovar parecer por 257 votos. Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, em 2019

Sob acusação de orquestrar o assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, o Conselho de Ética da Câmara decidiu nesta terça-feira, 08, por 16 votos a 1, cassar o mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ). O crime ocorreu em junho de 2019.

Os parlamentares aprovaram o relatório do deputado Alexandre Leite (DEM-SP). O único deputado que votou a favor de Flordelis foi Márcio Labre (PSL-RJ).

Apesar da decisão, o assunto depende de votação do plenário da Câmara, que precisa aprovar parecer por 257 votos para que Flordelis perca o mandato.

A aprovação do relatório também pode ser objeto de recurso da deputada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

o crime
A deputada é ré na Justiça, acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ter sido a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

Flordelis responde por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

A deputada, contudo, não pode ser presa por causa da imunidade parlamentar, por meio da qual somente flagrantes de crimes inafiançáveis são passíveis de prisão. Antes da votação, Flordelis negou o crime e pediu para que os deputados não votassem a favor da cassação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.